Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




ARQUIVO - No Mundo dos Famosos
 


Entrevista Especial com MARIA CLARA GUEIROS

 

A minha entrevistada de hoje é uma das maiores referências da comédia brasileira. Na TV fez todo o Brasil rir sem parar, no humorístico “Zorra Total”, com a personagem Laura e seu inconfundível bordão: “Vem cá, te conheço?”, também atuou em outros sitcom’s, como: “Sob Nova Direção”, “Minha Nada Mole Vida” e “Divertics”. E ainda, deu um show de interpretação em cada personagem que fez nas novelas em que participou. A “Entrevista Especial” de hoje do “No Mundo dos Famosos” é com a intérprete de Karen da atual novela das nove, “Babilônia”, a maravilhosa e simpática atriz MARIA CLARA GUEIROS.

"Eu toparia até servir cafezinho numa novela do João Emmanuel Carneiro (risos)."

(Maria Clara Gueiros)

Jéfferson Balbino: Atualmente você vem dando um show de interpretação na novela “Babilônia”. O que mais o público pode esperar da Karen, sua personagem na trama?

Maria Clara Gueiros: A Karen é uma corretora de imóveis e como ela está inserida no núcleo cômico da novela, é um núcleo super divertido, apesar de que não chega a ser propriamente um núcleo cômico, mas sim um núcleo leve, divertido, completamente realista, bem família... Acho que o público está adorando!

Jéfferson Balbino: E está sendo muito bacana ver você junto com o Gabriel Braga Nunes ainda mais porque é tão raro o ver fazer um personagem voltado mais para a comédia, né?

Maria Clara Gueiros: Pois é, acho que é a primeira vez que eu o vejo fazendo um personagem mais leve e divertido.

Jéfferson Balbino: A Karen é muito diferente de sua personagem anterior, a Bibi, da novela “Insensato Coração”?

Maria Clara Gueiros: Totalmente diferente, embora as duas tenham um pé na comédia...

Jéfferson Balbino: E você sabe nos dizer se haverá algum drama envolvendo sua personagem ao longo da novela?

Maria Clara Gueiros: Acho que só haverá as várias puladas de cerca do marido dela (risos). Ele sempre a trai, ela o põe para fora, mas depois acaba o perdoando. Enfim, tem esses ‘draminhas’ do dia a dia, mas tudo levado com muita leveza.

Jéfferson Balbino: Voltando a falar de “Insensato Coração”, que também era de autoria do magistral Gilberto Braga, como foi contracenar com a nossa querida Paola Oliveira

Maria Clara Gueiros: Foi ótimo, afinal ela é uma ótima atriz. Ela é muito séria, estudiosa, muito competente e, é sempre bom contracenar com profissionais assim.

Jéfferson Balbino: E o que você ressaltaria do texto do grande Gilberto Braga?

Maria Clara Gueiros: O texto do Gilberto Braga é o sonho de qualquer ator. Fazer uma novela do Gilberto Braga é algo maravilhoso.

Jéfferson Balbino: As novelas do Gilberto Braga possuem um forte cunho social e cultural. A teledramaturgia pode ser considerada um dos maiores elementos sócio-culturais no Brasil?

Maria Clara Gueiros: Pode sim... A novela é formadora de opiniões e de comportamento. É muito importante uma novela que entra toda noite na casa das famílias e levando consigo temas pertinentes da sociedade e “Babilônia” cumpre esse papel ao retratar a união homoafetiva través das personagens da Fernanda Montenegro e da Nathália Timberg, através também da questão da inveja das vilãs e das mulheres trabalhadoras como a da personagem da Camila Pitanga.

Jéfferson Balbino: Qual autor você gostaria de trabalhar?

Maria Clara Gueiros: Ah Jéfferson, eu assim como todo mundo, gostaria muito de fazer João Emmanuel Carneiro.

Jéfferson Balbino: E de preferência, uma grande vilã (risos)?

Maria Clara Gueiros: Sendo dele pode ser qualquer coisa (risos). Eu toparia até servir cafezinho numa novela do João Emmanuel Carneiro (risos).

Jéfferson Balbino: O que te motivou seguir a carreira de atriz?

Maria Clara Gueiros: Acho que o meu talento me chamou, eu fui levada pelo meu talento.

Jéfferson Balbino: Quem são suas referências como atriz?

Maria Clara Gueiros: Fernanda Montenegro que é uma unanimidade e a Marieta Severo.

Jéfferson Balbino: E você é uma atriz que assiste novelas também?

Maria Clara Gueiros: Sim... Eu assisto novelas desde pequena.

Jéfferson Balbino: E quais foram às melhores novelas que você já assistiu na vida?

Maria Clara Gueiros: “Vale Tudo”, “Escrava Isaura”, amei “Avenida Brasil” e outras tantas.

Jéfferson Balbino: Você que já fez muita comédia, também acredita que fazer comédia é muito mais difícil do que fazer drama?

Maria Clara Gueiros: Acho que é difícil sim porque não é todo mundo que tem a pegada da comédia.

Jéfferson Balbino: Querida, adorei ter você como entrevistada, foi uma honra. Super obrigado por conceder essa entrevista ao “No Mundo dos Famosos”. Parabéns pela carreia que você vem construindo e muito mais sucesso, um grande beijo!

 

Maria Clara Gueiros: Obrigada Jéfferson, um beijo!



Escrito por No Mundo dos Famosos às 19h15
[] [envie esta mensagem
] []





TV Tudo: PROGRAMAÇÃO INFANTIL SEM ESPAÇO NA TV BRASILEIRA

Resultado de imagem para programação infantil

 

Ah, que saudades dos anos 80 e 90, com princípios dos anos 2000, em que a televisão era recheada de atrações infantis. Com o surgimento da TV a cabo, as opções só aumentaram para o público infantil, porque de lá vem os desenhos que fizeram (ou fazem) sucesso na TV aberta.

E ainda bem que a TV a cabo está em evidência, seja no segmento infantil ou não. Porque a aberta vive uma decadência de dar dó para esse público. Com exceção do SBT, que investe muito bem com desenhos de manhã, novelas e seriados infantis, outros canais seguem caminho contrário.

Primeiramente, saudades da TV Manchete, que nos brindou com os melhores seriados japoneses, como Jaspion. A RedeTV já fez muitas coisas para as crianças, mas nada que tivesse retorno. Hoje em dia aposta no anime Pokemon, que já rodou por diversas emissoras, estreando na Record, passando por SBT e Globo, até chegar onde está. Há possibilidade de ir para a Band.

A Globo já foi uma referência no segmento, através de programas comandados por Xuxa e, depois, Angélica (que largou como quis o público infantil). Mais recentemente tinha a TV Globinho, exibidora de sucessos da Disney, de segunda a sexta. Acabou perdendo espaço para Fátima Bernardes, com seu Encontro. Ainda passa de sábado, mas logo deve ser extinto de vez, para dar lugar a outro programa. Aliás, de lá saíram os sucessos animados Bob Esponja, Os Padrinhos Mágicos, Dragon Ball Z e outros. Bob estava há mais de uma década, e acaba de ser resgatado pelo SBT. O mesmo aconteceu com Os Padrinhos, que teve uma breve passagem na Band, assim como DBZ, que segue por lá. Que saudades...

A Record está seguindo a passos largos os caminhos da Globo. Não investia costumeiramente nessas atrações, mas em 2006 comprou os direitos de Pica-Pau, antes exibido por SBT e Globo, e conquistou surpreendente audiência, sendo tachado de "Chaves da Record". Por tempos deixou Xuxa comendo poeira nas tardes de sábado. Onde permanece até hoje, mas sem o mesmo embalo, e episódios que reprisam de duas em duas semanas. Tá difícil...

É isso mesmo, só temos o SBT mesmo para olhar pelas crianças na TV aberta. Não faltam programas para alegrar a criançada, sejam os atuais matinais, as novelinhas de sucesso, como também os programas já extintos (Festolândia manda abraços). Que continue assim, porque se depender de outros canais...

E a TV a cabo conta com Discovery Kids, Cartoon Network e Disney Channel como principais canais para alegrar esse público. Cada um com sua temática diferenciada. Educativa, sempre com muito entretenimento, e agito.

 

Cruj cruj cruj, tchau! :)



Escrito por No Mundo dos Famosos às 17h57
[] [envie esta mensagem
] []





Entrevista Especial com FERNANDA RODRIGUES

 

Hoje eu entrevisto aqui “No Mundo dos Famosos” uma das maiores revelações na teledramaturgia brasileira. Ela começou a carreira de atriz ainda criança, mais precisamente aos 11 anos, quando atuou na novela “Vamp” e de lá pra cá não parou mais e todo o Brasil pôde acompanhar seu crescimento, sobretudo, o profissional. Atualmente ela vem se destacando como a Virginia na novela “Sete Vidas”. A “Entrevista Especial” de hoje é com a querida e brilhante atriz FERNANDA RODRIGUES.

“Quando alguma coisa é pra ser da gente, acontece de um jeito ou de outro.”

(Fernanda Rodrigues)

                  

Jéfferson Balbino: Fer, conta pra gente como está sendo voltar a atuar em novelas após um período sabático?

Fernanda Rodrigues: Ah Jéfferson, está sendo ótimo, pois “Sete Vidas” é uma novela linda que fala de relações humanas, as tramas são super emocionantes, a Virgínia que é a minha personagem é uma arquiteta e vive uma história de amor com o personagem do André Frateschi que é o Arthur.

Jéfferson Balbino: Pelo fato de você fazer uma arquiteta, você teve que fazer laboratório para compor essa personagem?

Fernanda Rodrigues: Então pelo fato dela ser arquiteta não muito até porque o texto tem tudo que a gente precisa, mas pelo fato dela ser uma apreciadora de vinhos a gente fez alguns workshops sobre vinhos e que foram ótimos (risos).

Jéfferson Balbino: E como está sendo trabalhar pela primeira vez com a nossa querida Lícia Manzo, autora de “Sete Vidas”?

Fernanda Rodrigues: Estou super feliz e encantada.

Jéfferson Balbino: Fer, desde criança você nos emociona com suas personagens e nos encanta com seu imensurável talento... Quem te motivou a escolher a carreira de atriz para toda a vida?

Fernanda Rodrigues: Ah Jéfferson, eu acho que foi uma coisa que foi acontecendo naturalmente até porque eu era muito pequena e pra te ser sincera eu nem me lembro direito. Mas acho que foi acontecendo naturalmente até porque eu fazia publicidade e daí surgiu a oportunidade para eu fazer “Vamp”.

Jéfferson Balbino: Você também fez “A Viagem” que é um estrondoso sucesso a cada vez que reprisa... Como foi participar dessa novela antológica na história da teledramaturgia brasileira?

Fernanda Rodrigues: Foi maravilhoso... “A Viagem” é uma novela maravilhosa, eu assisti agora quando passou no Canal Viva e amei ver mais uma vez.

Jéfferson Balbino: E como foi se rever 20 anos depois?

Fernanda Rodrigues: Foi muito legal, pois mostrei para a minha filha.

Jéfferson Balbino: Mas você se revê com sentido autocrítico ou como de telespectadora?

Fernanda Rodrigues: De telespectadora... Até porque eu era praticamente uma criança.

Jéfferson Balbino: Antes mesmo de “A Viagem” você já tinha feito alguns trabalhos, né?

Fernanda Rodrigues: Sim... Tenho 24 anos de Globo. Já fiz 17 novelas, “Sete Vidas’, é a minha 18ª novela.

Jéfferson Balbino: Em “A Viagem” na erra perceptível uma maturidade cênica de sua parte...

Fernanda Rodrigues: Ah querido, obrigada (risos).

Jéfferson Balbino: Porque a sua personagem, a Bia, tinha uma carga dramática enorme...

Fernanda Rodrigues: Pois é...

Jéfferson Balbino: Em “Vamp” também você deu um show de interpretação...

Fernanda Rodrigues: Você acredita que não vi a reprise de “Vamp” no Viva?! Estou doida pra ver!

Jéfferson Balbino: Em “Vamp” você contracenava com feras da nossa teledramaturgia como Joana Fomm, Reginaldo Faria e Cleyde Yáconis. Como foi trabalhar com esses ‘monstros sagrados’?

 

Fernanda Rodrigues: Foi maravilhoso, pois aprendi muito com eles. Eles me ensinaram muito. E também estou aprendendo até hoje com todos que trabalho e com muito outros que ainda irei trabalhar. 



Escrito por No Mundo dos Famosos às 19h17
[] [envie esta mensagem
] []





Entrevista Especial com FERNANDA RODRIGUES

 

Jéfferson Balbino: E que balanço você faz da sua carreira no Teatro?

Fernanda Rodrigues: Como em “Sete Vidas” contraceno muito com o André Frateschi que é um grande ator de teatro eu estou aprendendo muita coisa com ele também. O Teatro é bom para a gente se reciclar como atriz. Quero fazer muito mais teatro.

Jéfferson Balbino: Em novelas, gostei muito de seu trabalho em “Estrela-Guia” onde você deu vida a personagem Suky. Viver uma personagem, como essa, fora de sua realidade exige mais de você como atriz?

Fernanda Rodrigues: Acho que não, acho que é um desafio maior, mas não dificultoso. Acho que quando se é ator, que tem esse ‘bichinho’ é tudo uma questão de entrega, se você se entrega a personagem você não achará difícil nada.

Jéfferson Balbino: Como foi contracenar com a belíssima e talentosa atriz Carolina Ferraz em “O Astro”? Era impressionante a sintonia de vocês comos irmãs na novela...

Fernanda Rodrigues: Adorei e foi bom a gente ter feito esse trabalho juntas porque ficamos muito amigas na vida real e isso facilitava muito essa sintonia que você percebeu em cena.

Jéfferson Balbino: Mas antes de “O Astro” vocês eram amigas?

Fernanda Rodrigues: Não... A gente se conheceu fazendo a novela e ficamos amigas pra toda a vida.

Jéfferson Balbino: E aquele final de sua personagem a Josi...

Fernanda Rodrigues: Foi triste né?!

Jéfferson Balbino: Quando você faz uma cena como aquela, uma personagem dramática como essa você ‘compra’ a dor da personagem? Sente fora do set à dor da personagem?

Fernanda Rodrigues: Mexe comigo sim, mas a gente aprende técnicas para se livrar. Não tem como não sentir até porque a gente empresta o corpo da gente par a personagem e ali esta todas as nossas emoções.

Jéfferson Balbino: E quando acaba o trabalho você sente falta da personagem que te acompanhou por alguns meses?

Fernanda Rodrigues: Sinto sim... De algumas mais e de outras menos, mas sinto falta. Tem umas personagens que a gente demora mais pra se desapegar e outras menos.

Jéfferson Balbino: E você é uma atriz que assiste novelas também?

Fernanda Rodrigues: Depois que me tornei mãe tenho assistido pouco, mas sempre fui noveleira.

Jéfferson Balbino: E quais novelas você mais gostou de assistir?

Fernanda Rodrigues: “Avenida Brasil”, né?! A Carminha foi um fenômeno.

Jéfferson Balbino: Existe alguma personagem feita por outra atriz que você gostaria de ter feito caso fosse possível?

Fernanda Rodrigues: Personagem é igual filho, por isso é de quem faz (risos).

Jéfferson Balbino: Quando você olha pra trás e vê essa belíssima trajetória que você construiu o que você sente?

Fernanda Rodrigues: Que quando alguma coisa é pra ser da gente, acontece de um jeito ou de outro.

Jéfferson Balbino: Fernandinha querida, amei entrevistar você, obrigado por conceder essa entrevista ao “No Mundo dos Famosos”, sucesso e mais sucesso sempre pra você, beijos!

 

Fernanda Rodrigues: Obrigada Jéfferson, também adorei dar essa entrevista pra você querido, obrigada, beijo!



Escrito por No Mundo dos Famosos às 19h12
[] [envie esta mensagem
] []





Tapete Vermelho: Thalia

 

Nossa homenageada da semana nasceu no México em 1971, além de ser atriz é uma grande cantora consagrada em seu país e que faz imenso sucesso internacional, principalmente no Brasil! Ela é: Thalia.

Não pense que a atuação de Thalia se limita apenas nas tramas que foram exibidas por aqui, em seu currículo aparecem sete novelas, sendo que apenas quatro chegaram às “mãos” do “SBT”.  Thalia deixa sua marca por onde passa, além de uma voz encantadora seu sucesso como atriz arrebatou os corações de milhares de fãs brasileiros assim conheceram seu talento em “Marimar” (1996). “Marimar” deu inicio ao sucesso da trilogia das “Marias”, logo apareceu “Maria Mercedes” e “Maria do Bairro”, sento que a ultima já foi exibida seis vezes por aqui. Com dramas semelhantes, Thalia conseguiu fazer com que o pulico diferenciasse cada uma de suas protagonistas. Embora seu sucesso seja estrondoso como cantora, a maioria de seus fãs sonham em vê-la atuando novamente. Em 1999 o jejum foi quebrado e nossa homenageada protagonizou “Rosalinda”, porém a trama só foi exibida do Brasil pela primeira vez em 2001. Thalia nunca descartou a vontade de voltar a atuar, porém não há nenhum projeto em vista. Atualmente o “SBT” exibe a novela “Coração Indomável”, que é um Remake de “Marimar”, porém com atores diferentes.

Além destes talentos extraordinários, Thalia já foi considerada uma das mulheres mais lindas do Mundo, e não deixa por menos, em suas redes sociais sempre é possível vê-la se exibindo durante atividades físicas e refeições regradíssimas.

 

Thalia, os fãs aguardam sua volta às novelas! Pode ter certeza que caso venha a acontecer, um “Tapete Vermelho” sempre lhe será estendido para podermos admira-la ainda mais por aqui!



Escrito por No Mundo dos Famosos às 14h55
[] [envie esta mensagem
] []





Entrevista Especial com ANDRÉ BANKOFF

 

Hoje eu entrevisto aqui “No Mundo dos Famosos” um dos galãs da novela das nove, “Babilônia”. Ele começou a carreira como modelo e ainda fez comerciais para a televisão, instigando o desejo de se tornar ator. Na Rede Record fez trabalhos marcantes, como o Juba em “Bicho do Mato” e o André Campos em “Poder Paralelo”e na teledramaturgia da TV Globo teve personagens de destaque nas novelas: “Morde & Assopra” e no remake de “Saramandaia”. A “Entrevista Especial” de hoje é com o simpático ator ANDRÉ BANKOFF.

“A única ambição que talvez eu tenha é crescer cada vez mais como ator...”

(André Bankoff)

Jéfferson Balbino: André, como surgiu seu interesse pela carreira de ator?

André Bankoff: Surgiu aos 12 anos... Comecei fazendo comercial e daí quis fazer teatro e aí as coisas foram desencadeando.

Jéfferson Balbino: Atualmente você está no elenco da atual novela das nove, “Babilônia”, onde você vive o Pedro. E o que o público pode esperar do seu personagem?

André Bankoff: Pode esperar algo que não foi visto ainda. Ele terá ainda mais ambição, pois ele é muito mau caráter e muito ambicioso e por isso irá fazer de tudo para chegar ao poder.

Jéfferson Balbino: Por falar em ambição, qual é a sua maior ambição profissional?

André Bankoff: “Babilônia” é uma novela que fala muito de ambição e o Pedro é extremamente ambicioso ao contrário de mim. A única ambição que talvez eu tenha é crescer cada vez mais como ator. E buscar cada vez mais novos desafios, buscar respeito como profissional.

Jéfferson Balbino: E tem alguma ambição pessoal?

André Bankoff: A minha ambição pessoal é formar uma família e educar meus filhos...

Jéfferson Balbino: Mas voltando a falar do seu personagem em “Babilônia”, o Pedro, transitará entre o bem e o mal e será um personagem ambíguo ou não?

André Bankoff: Acho que ele será só mau caráter. Ele quer chegar a todo custo ao poder da empreiteira, se torna amante da Beatriz e vive uma relação de cão e gato e se submeterá a tudo até a lavagem de dinheiro.

Jéfferson Balbino: E como é ser na ficção o amante da magistral Glória Pires (risos)?

André Bankoff: É perfeito, é uma honra ser na novela o amante da Glória Pires, ótimo demais (risos)...

Jéfferson Balbino: E, é muito grande a responsabilidade de contracenar com uma das maiores atrizes do Brasil?

André Bankoff: A Glória é incrível extremamente maravilhosa e nos deixa sempre muito a vontade. Estamos numa equipe muito feliz e todos unidos.

Jéfferson Balbino: Você teve uma passagem muito bem sucedida pela teledramaturgia da Rede Record. Que importância aqueles trabalhos tiveram no processo de consolidação de sua carreira como ator?

André Bankoff: Importância enorme, pois o Juba que eu fiz no “Bicho do Mato” foi o meu primeiro trabalho em novela e ali eu aprendi na marra porque eu nunca tinha feito TV.

Jéfferson Balbino: Quais são seus maiores ídolos na televisão?

André Bankoff: Fernanda Montenegro é a minha diva na TV, gosto também do Osmar Prado, de autores: do Gilberto Braga, do João Emmanuel Carneiro, da Glória Perez... Estamos bem cercados de bons autores!

Jéfferson Balbino: E você é um ator que também assiste novelas?

André Bankoff: Gosto mais de seriados, mas gostei muito de “Avenida Brasil”.

Jéfferson Balbino: Existe algum personagem feito por outro ator que você gostaria de ter feito caso tivesse tido a oportunidade?

André Bankoff: O Olavo que o Wagner Moura fez na novela “Paraíso Tropical” do Gilberto Braga.

Jéfferson Balbino: E você está focado completamente na novela ou tem outros projetos simultâneos?

André Bankoff: Vou estrear dois longas nesse ano. Estou dirigindo um infantil em São Paulo, terminando de gravar um filme e ensaiando um monólogo, e gravando a novela, ou seja, estou com a vida na maior correria dormindo apenas 4 horas por dia (risos).

Jéfferson Balbino: Voltando a falar do Pedro de “Babilônia”, geralmente os personagens maus do Gilberto Braga se sobressai na trama e caem no gosto do público e da critica... Está ansioso por esse retorno?

André Bankoff: Sim... Tomara que meu personagem conquiste a todos com suas maldades, amém! (risos). Que o universo conspire a favor disso...

Jéfferson Balbino: O que você mais quer para sua vida?

André Bankoff: Eu quero trabalhar sempre, manter o foco e conquistar novos personagens.

Jéfferson Balbino: Querido, obrigado por conceder essa entrevista ao “No Mundo dos Famosos”, parabéns pela carreira, abraço e muito mais sucesso!

 

André Bankoff: Valeu Jéfferson abração!



Escrito por No Mundo dos Famosos às 16h41
[] [envie esta mensagem
] []





TV Tudo: OS DEZ MANDAMENTOS

 

Os Dez Mandamentos chegou ao ar com muita pompa e carregada ao fato de ser uma novela bíblica, rara na história da TV brasileira, e correspondeu as expectativas. Baseada na história de Moisés, que na trama é vivido por Guilherme Winter, à novela recolocou a Record na trilha do sucesso de audiência, ao marcar dois dígitos no Ibope. Isso não acontecia desde Vidas em Jogo, há exatos três anos. Sua média está variando entre 11 e 13 pontos.

Por que o sucesso? Não apenas pela verídica e famosa história baseada na Bíblia, muito bem contada e belas paisagens históricas que justificam a superprodução, como também o horário favorável a qual foi colocada, às 20h30. Depois de muitos insucessos, exibidos em variados horários (nove, dez e até onze da noite, anos atrás), foi encontrado o horário ideal para conquistar pontos importantes.

Está certo que não acompanho fielmente Os Dez Mandamentos, mas o pouco que vejo encanta. E os comentários na Internet são só elogios. Poucas críticas.

E como o foco do post é falar de dez mandamentos, aqui vai uma lista de dez mandamentos, em forma de brincadeira, para que a Record siga na trilha do sucesso e continue salvando a área da teledramaturgia (leia-se Recnov), que chegou a ser ameaçada de acabar.

 

1 - Se as novelas anteriores (não necessariamente todas, devido à faixa etária) fossem exibidas às 20h30, ou até um pouco mais cedo, não sofreriam com fracassos. Talvez tramas como Balacobaco, Dona Xepa e Vitória teriam mais êxito.

 

2 - Novela com boa paisagem, fotografia e imagem exuberante, atrai mais facilmente o telespectador. Tudo isso sem apelar com cenas violentas.

 

3 - Boa história, simples assim.

 

4 - Não se empolgar com o sucesso de uma novela e torná-la um seriado. A Record fez isso com Caminhos do Coração em 2008 e quebrou a cara mais tarde. Rebelde teve sucesso razoável em 2011, mas tornaram a criar uma segunda temporada no ano seguinte. Não deu certo, e acabou.

 

5 - Não reprisar uma novela exibida há pouco tempo. Tudo bem que o SBT conseguiu êxito surpreendente com Carrossel, e a Record com A Escrava Isaura, novela que retomou o investimento dramatúrgico do canal. Mas nem sempre funciona.

 

6 - Não mudar de horário no meio de sua história. Pecado Mortal (2013) passava as 22h30, à época seu melhor horário. Aí os diretores da Record mudaram o horário para as 21h15, combatendo com a principal novela da Globo, e acabou com as chances de sucesso da primeira novela de Carlos Lombardi no canal.

 

7 - Não tomar 7 gols da Alemanha (KKKKKKK). Brincadeirinha!

 

8 - Aumentar as chamadas de uma novela que está no maior fracasso. A Globo está fazendo isso com Babilônia.

 

9 - Divulgar bastante a estreia de uma novela. Nisso a Record é craque há tempos. A Globo, ultimamente, decepciona nesse quesito.

 

10 - Aproveitar as variadas opções da programação televisiva, seja na Aberta ou na Fechada. Isso vale para nós, telespectadores.

 

Teriam algum outro tipo de mandamento? Mandem-me sugestões para meu e-mail, que eu respondo: jeanmarcosrivelles@gmail.com

Até a próxima!

 

 



Escrito por No Mundo dos Famosos às 23h43
[] [envie esta mensagem
] []





Tapete Vermelho: Tarcísio Meira

 

Dessa vez nosso “Tapete Vermelho” será estendido para um dos atores mais versáteis da televisão brasileira. Casado com a também atriz Glória Menezes e pai ator Tarcísio Filho, Tarcísio Meira “arrebata” os corações das mocinhas apaixonadas desde suas primeiras aparições na telinha, na década de 60.

João Coragem de “Irmãos Coragem” (1970), foi o primeiro grande sucesso do nosso astro, o sucesso da trama foi tão grande que recentemente a “Globo” a lançou em DVD. Em 1985 o Capitão Rodrigo Cambará de “O Tempo e o Vento”, fez com que Tarcísio revivesse as aventuras de João Coragem, pois ambas as personagens possuíam características bastante semelhantes. Em “O Rei do Gado”(1996), Tarcísio deu vida ao fazendeiro Giuseppe Berdinazzi que tem sua história retratada na primeira fase da trama. A carreira de Tarcísio Meira também é marcada por interpretações de grandes vilões, como o Dom Jerônimo Taveira (A Muralha/2000), Bóris Vladescu (O Beijo do Vampiro/2002) e Antônio de Sousa Borba (Um Só Coração/2004), sendo que o segundo lhe rendeu o terceiro “Troféu Imprensa” de melhor ator.

É praticamente impossível descrever a carreira de Tarcísio, pois seu carisma é tão “contagioso”, que em “Tieta” (1989) e “Mundo Vip”(1996)  suas participações foram como ele mesmo. Um brinde ao nosso grande astro, que sejamos presenteados com muitos outros personagens tão marcantes...

 

Até a próxima!



Escrito por No Mundo dos Famosos às 16h23
[] [envie esta mensagem
] []





Entrevista Especial com LETÍCIA COLIN

 

A “Entrevista Especial” de hoje “No Mundo dos Famosos” é com uma querida e brilhante atriz que vem arrebentando como a Elisa em “Sete Vidas”, a atual novela das seis da TV Globo. Ela também já provou seu imensurável talento na teledramaturgia da Rede Record onde deu vida a inúmeras personagens densas e também conquistou as crianças quando apresentou a TV Globinho. Minha entrevistada de hoje é a talentosa e simpática atriz LETÍCIA COLIN.

“Acho muito desafiador todos os trabalhos que eu faço.”

(Letícia Colin)

Jéfferson Balbino: Letícia, atualmente você vem dando um show de interpretação como a Elisa na atual novela das seis, “Sete Vidas”. Como está sendo fazer esse trabalho?

Letícia Colin: Eu acho a trajetória dessa personagem muito interessante, pois ela tem dislexia e estamos falando muito sobre isso e que de ‘mulecona’ que só usava jeans, tênis e moletom ela vira uma modelo ‘bombada’ que vai pro Japão e que depois volta para o Brasil com um distúrbio de alimentação e aí fala sobre anorexia. Enfim, muitas histórias...

Jéfferson Balbino: E como você vem trabalhando o perfil psicológico dela?

Letícia Colin: Eu sempre tenho a chance de pegar personagens intensas e eu adoro isso... Eu conversei muito com pessoas que tem dislexia, fui à Associação deles para saber mais sobre os disléxicos, conversei com médicos e pacientes sobre o assunto, também estudei muito sobre a anorexia, vi muitos filmes então eu me preparei muito para dar vida a essa personagem maravilhosa.

Jéfferson Balbino: O que você nos conta sobre sua colega de cena, a nossa querida Claudia Mello? Como é contracenar com essa atriz maravilhosa?

Letícia Colin: Ah Jéfferson, eu estou apaixonada por ela, pois ela sabe muito e é muito generosa para compartilhar. Ela confia em mim e isso é uma coisa muito linda e rara uma atriz com tanta bagagem ouvir uma opinião de alguém com menos tempo de carreira como eu... Eu sempre dou sugestões nas cenas dela e ela prontamente as aceita, enfim é muito bom contracenar com ela e também com a Isabelle Drummond.


Jéfferson Balbino: E a Isabelle? O que você nos conta sobre a parceria de vocês?

Letícia Colin: A Isabelle é uma referencia pra mim. É uma das maiores atrizes da minha geração e por isso eu a reverencio e sou apaixonada pelas cenas que ela faz. Então eu estou muito bem cercada...

Jéfferson Balbino: Você apresentou durante algum tempo o programa “TV Globinho”. Como foi a experiência?

Letícia Colin: Foi tão ótimo e por isso que eu quis fazer [a faculdade de] jornalismo, mas não terminei, apenas cursei até a metade do curso lá na PUC/RJ, enfim algumas fases da vida, mas amei apresentar a TV Globinho, pois é muito legal apresentar programa.

Jéfferson Balbino: Mas você tem vontade de apresentar outro programa?

Letícia Colin: Agora, no momento, não! Porque as minhas prioridades são outras e ainda tem a música que toma meu tempo já que eu tenho uma banda e a gente faz musicais, mas tudo é possível né?!

Jéfferson Balbino: E está dando pra conciliar as gravações da novela com os shows da sua banda?

Letícia Colin: Dá sim... Mas eu acordo cedo para dar tempo de fazer todas as coisas, acho que esse é o segredo (risos).

Jéfferson Balbino: Eu adorei todos os seus trabalhos lá na Record, as novelas: “Luz do Sol”, Chamas da Vida”, “Vidas em Jogo”... Como foi trabalhar na teledramaturgia da emissora?

Letícia Colin: Foi maravilhoso, foi um período ótimo e que eu só tenho a agradecer. Eu adoro o texto da Cris [Cristianne Fridmann] assim como o da Lícia até porque eu adoro mulheres escrevendo, como também a Júlia Rezende que fez filme que participei e que estreou recentemente. Eu acho sensacional porque tem outro olhar sobre o ator e isso funciona muito.

Jéfferson Balbino: Você comentou agora a pouco que você faz muitas personagens densas... Sente falta de fazer personagens cômicas?

Letícia Colin: Até que não, porque eu faço muitas personagens cômicas no teatro e por isso eu dou uma liberada nesse desejo.

Jéfferson Balbino: E você consegue definir se tem mais ‘time’ pra comédia do que para o drama ou vice-versa?

Letícia Colin: Não sei definir... Acho muito desafiador todos os trabalhos que eu faço.

Jéfferson Balbino: Ainda tem algum tipo especifico que você adoraria interpretar?

Letícia Colin: Ah tem muitos ainda... Que venham (risos)!

Jéfferson Balbino: Para você, o que é mais gratificante na carreira de atriz?

Letícia Colin: Quando as pessoas se comovem com o seu trabalho, quando você faz uma personagem e as pessoas se identificam.

Jéfferson Balbino: Quais são seus ídolos na (tele) dramaturgia?

Letícia Colin: Em “Sete Vidas” mesmo tem várias como: Mariana Lima, Malu Galli...

Jéfferson Balbino: E você é uma atriz que assiste novelas também? Quais você mais gostou de assistir?

Letícia Colin: Mais ou menos, pois não consigo por conta do meu tempo limitado acompanhar... Com toda certeza “Mulheres Apaixonadas” foi a que mais gostei!

Jéfferson Balbino: Querida, adorei ter você no meu roll de entrevistadas, foi uma honra! Muito obrigado por ter concedido essa entrevista para o portal “No Mundo dos Famosos”, parabéns por seu primoroso trabalho e muito mais sucesso, beijos!

 

Letícia Colin: Ah querido, obrigado a você por essa oportunidade, beijo!



Escrito por No Mundo dos Famosos às 14h11
[] [envie esta mensagem
] []





“Tapete Vermelho”: Rosamaria Murtinho

 

Sim, eu sei! É muito difícil falar de alguém que você admira muito, mas vamos lá, prometo que tentarei não ser “grudento” demais... Um “Tapete Vermelho” é muito pouco para essa grande atriz brasileira, pois seu talento ultrapassa fronteiras. Nascida em Belém, seus trabalhos se dividem entre a “Cidade Maravilhosa” e a “Terra da garoa”, ela é: Rosamaria Murtinho. Rosamaria é figurinha carimbada em diversas obras brasileiras. Em “Pecado Capital” (1975), sua personagem conseguiu deixar o publico dividido, alguns torciam pela reconstrução de sua família, outros torciam para que Eunice se livrasse da cadeia após cometer um assassinato e vivesse ao lado do protagonista Carlão (Francisco Cuoco). Em “Memorial de Maria Moura” (1994), Rosamaria interpretou majestosamente a sem escrúpulos Eufrásia, personagem que ajuda a acabar com o bando de Moura. Em 2011, a Tia Magda não poderia ficar de fora da lista dos suspeitos de ter assassinado Salomão Hayala (Daniel Filho), em “O Astro”. Já em 2013, foi a vez de Tamara Gouveia dar o ar da graça em “Amor a Vida”. Além de dezenas de personagens na TV, Rosamaria Murtinho exerce papeis exemplares na vida real, o de Mãe e Esposa: nossa grande atriz é casada com o também ator Mauro Mendonça, e é mãe de três filhos, sendo que um deles é o conceituado diretor Mauro Mendonça Filho. Ao encontrar fãs de Rosamaria espalhados pelo país, não é difícil ouvir descrições emocionantes dos encontros com a atriz, que além de carismática possui uma simplicidade indescritível ao lidar com seus admirados.

Como disse no inicio, um “Tapete Vermelho” seria muito pouco, portando acrescento um trono, para que continue sempre sendo nossa rainha!

Até a próxima!

 

Por Jaciano Souza

E-mail: jaciano.souza@nomundodosfamosos.com.br




Escrito por No Mundo dos Famosos às 14h09
[] [envie esta mensagem
] []





Entrevista Especial com CLÁUDIA MELLO

 

Hoje eu entrevisto aqui “No Mundo dos Famosos” uma atriz que eu tenho verdadeira adoração, afinal sempre ri muito com as inúmeras personagens que ela já deu vida, mas que agora vem emocionando a todos nós com uma personagem dramática, algo raro, numa carreira repleta de sucesso na comédia, porém, como ela é uma atriz imensuravelmente talentosa, é óbvio, que ela vem tirando de letra o desafio de dar vida a Guida na novela “Sete Vidas”. A nossa “Entrevista Especial” de hoje é com a querida e magnífica atriz CLÁUDIA MELLO.

“Acho muito difícil, muito complicado fazer comédia porque requer um ‘time’, o tempo especial da comédia...”

(Cláudia Mello)

Jéfferson Balbino: Cláudia, como está sendo dar vida a Guida na novela “Sete Vidas”?

Cláudia Mello: Está sendo uma delícia, pois a Guida é uma personagem muito interessante até porque ela sabe alguns segredos da trama e ela vai revelando aos poucos, é uma personagem chave da história e que também aborda as questões femininas através de uma mulher mais velha, mais madura e que, às vezes, por circunstâncias da vida esquece de ser mulher para viver apenas em função da filha que é interpretada pela maravilhosa atriz Letícia Colin e que sofre de dislexia. Essa personagem serve de espelho para muitas mulheres dessa minha faixa de idade.

Jéfferson Balbino: Creio que a nossa querida Lícia Manzo, autora de “Sete Vidas”, não tenha revelado para você esses segredos da trama. Fica difícil compor a personagem, fazer uma interpretação ambígua sem ter conhecimento desses elementos da novela?

Cláudia Mello: Não, sabe por que Jéfferson? A Lícia Manzo é uma autora extraordinária e por isso não tem constrangimento, não tem ruído, porque o que ela escreve é prazeroso de se dizer e fora isso fizemos um trabalho de interação muito grande com o elenco, por isso não tem como você criar sua personagem fora dessa interação e tudo fica muito simples e eu fiquei encantada de ser um processo de preparação como o que vivenciamos nessa novela, processo esse que já se usa há muito tempo no teatro e que fizemos agora na televisão com essas aulas de preparação para interagirmos e com isso buscarmos subsídios para interagir com os outros atores que compõe o seu núcleo e a historia que você ira contar.

Jéfferson Balbino: Por falar em núcleo, como está sendo contracenar com a nossa querida Thais Garayp?

 

Cláudia Mello: Jéfferson, eu adoro a Thais. Eu acho ela um gênio, inclusive eu já conheço o trabalho dela há muito tempo, e ela é muito camarada, a gente se diverte muito, e ela conta as histórias dela, eu tenho profunda admiração e muito carinho pela Thais. Eu gosto muito dela e acredito que ela também goste muito de mim e daí fica um clima muito prazeroso. É uma honra trabalhar com a Thais!



Escrito por No Mundo dos Famosos às 17h46
[] [envie esta mensagem
] []





Entrevista Especial com CLÁUDIA MELLO

 

Jéfferson Balbino: Tem uma personagem sua que eu tenho verdadeira adoração que é a Brásia lá da novela “As Púpilas do Senhor Reitor”. Como foi fazer esse primoroso trabalho?

Cláudia Mello: Foi interessantíssimo... A direção era do Nilton Travesso que é um cara extraordinário e foi um trabalho que eu pude fazer com duas atrizes que eu admiro muito que é a Ana Lúcia Torre e a minha querida amiga Miriam Mehler e tivemos uma sintonia muito agradável o que é muito bacana. Gosto muito quando crio esses laços em trabalhos na televisão porque daí podemos bater textos, trocar idéias, compartilhar... E no meu último trabalho antes de “Sete Vidas” que eu fiz eu senti isso também, foi na série “Três Teresas” que eu fiz com a Denise Fraga e foi uma farra de tão bom que foi de fazer.

Jéfferson Balbino: Falando na Denise [Fraga] eu assisti na minha cidade natal, Jacarezinho no Paraná, o espetáculo “A Boa Alma de Setsuan” que vocês apresentaram no EnCena. Como foi atuar nessa peça?

Cláudia Mello: Ah que legal que você é de Jacarezinho e que nos viu... Foi um espetáculo prazerosíssimo, tínhamos um diretor maravilhoso e era um texto do Brecht que é um autor atípico e que tem uma partitura diferente, o processo da pela foi delicioso e por isso resultou no sucesso que teve e era muito legal aquela interação com a platéia que tínhamos no inicio.

Jéfferson Balbino: Você fez durante muitos anos o seriado “A Diarista”. Como foi ter que deixar a Dalila sua personagem que lhe acompanhou durante vários anos?

Cláudia Mello: Ah deu uma dorzinha no coração, é triste... Eu queria muito que continuasse, mas não foi possível. Éramos a segunda audiência da casa e que eu acho que poderia ter ido longe como foi “A Grande Família”.

Jéfferson Balbino: Você é uma das atrizes que melhor fazem comédia no Brasil, pois sempre faz com muita verdade, com muita propriedade. Qual o segredo pra tanta maestria?

Cláudia Mello: Não sei se existe... Acho muito difícil, muito complicado fazer comédia porque requer um ‘time’, o tempo especial da comédia. Mas agora em “Sete Vidas” a minha personagem não tem nada de cômica, pelo contrário, é dramática. O que pra mim esta sendo um desafio - o que é muito bom!

Jéfferson Balbino: Como você transita bem nos dois gêneros tem como distinguir qual é o mais difícil?

Cláudia Mello: Acho que não tem um mais fácil ou mais difícil do que o outro, pois os dois [gêneros] requerem muita dedicação, muito estudo, muito foco.

Jéfferson Balbino: Existe ainda algum tipo especifico de personagem que você sonha em fazer?

Cláudia Mello: Tem inúmeros ainda... Eu tenho uma proposta de trabalhar com a vida do Tostói, eu gosto das personagens femininas do Shakespeare, mas eu também gosto de uma criação que seja livre e que a gente mesmo escolhe o texto, que faça uma pequena produção e que trabalhe com autores jovens...

Jéfferson Balbino: Pra você, o que é mais gratificante na carreira de atriz?

Cláudia Mello: É acertar a embocadura, com o perdão da palavra (risos).

Jéfferson Balbino: E você é uma atriz que assiste novelas também?

Cláudia Mello: Assisto muitas, sou fã de novelas.

Jéfferson Balbino: E quais foram às melhores que você já assistiu?

Cláudia Mello: Eu adorei “Meu Pedacinho de Chão” não perdia um capítulo, gostei demais de “Avenida Brasil” e não é a toa que deu uma audiência extraordinária, às vezes, eu não vejo mais novelas por força das circunstâncias...

Jéfferson Balbino: Existe alguma personagem feita por outra atriz em novelas que você gostaria de ter feito caso tivesse tido a oportunidade?

Cláudia Mello: Ah Jéfferson, eu não vou dizer quais, mas tem sim e dá uma dor de cotovelo (risos). Mas te confidencio que no geral são as personagens da extraordinária Lilia Cabral, mas ela faz com muita maestria, mas tem muitas, as personagens da Adriana Esteves, bom eu parar por aqui porque eu sou fã de várias colegas (risos), como também da Gisele Fróes que esta comigo agora em “Sete Vidas” que está no meu núcleo e que eu amo de paixão, acho ela uma atriz expcional. Adoro também a Letícia Colin, a Isabelle Drummond, o Jayminho [Matarazzo]...

Jéfferson Balbino: Em relação a direção do Jayme Monjardim, ele é um diretor muito severo?

Cláudia Mello: Não... O Jayme é um diretor encantador, ele é muito educado, é um diretor de atores extraordinário e que tem uma ótima equipe de diretores tanto que pode dirigir pelo telefone (risos). Eles são sensacionais, especialíssimos, maravilhosos, jovens... Gente boa mesmo!

Jéfferson Balbino: Claudia querida, adorei falar com você aqui “No Mundo dos Famosos”, parabéns por ser essa artista magistralmente maravilhosa (risos). Sucesso e um grande beijo!

 

Cláudia Mello: Eu também adorei te conhecer Jéfferson e lhe dar essa entrevista, sucesso pra nós, beijos!



Escrito por No Mundo dos Famosos às 17h44
[] [envie esta mensagem
] []





Tapete Vermelho: Rosamaria Murtinho

 

Sim, eu sei! É muito difícil falar de alguém que você admira muito, mas vamos lá, prometo que tentarei não ser “grudento” demais... Um “Tapete Vermelho” é muito pouco para essa grande atriz brasileira, pois seu talento ultrapassa fronteiras. Nascida em Belém, seus trabalhos se dividem entre a “Cidade Maravilhosa” e a “Terra da garoa”, ela é: Rosamaria Murtinho. Rosamaria é figurinha carimbada em diversas obras brasileiras. Em “Pecado Capital” (1975), sua personagem conseguiu deixar o publico dividido, alguns torciam pela reconstrução de sua família, outros torciam para que Eunice se livrasse da cadeia após cometer um assassinato e vivesse ao lado do protagonista Carlão (Francisco Cuoco). Em “Memorial de Maria Moura” (1994), Rosamaria interpretou majestosamente a sem escrúpulos Eufrásia, personagem que ajuda a acabar com o bando de Moura. Em 2011, a Tia Magda não poderia ficar de fora da lista dos suspeitos de ter assassinado Salomão Hayala (Daniel Filho), em “O Astro”. Já em 2013, foi a vez de Tamara Gouveia dar o ar da graça em “Amor a Vida”. Além de dezenas de personagens na TV, Rosamaria Murtinho exerce papeis exemplares na vida real, o de Mãe e Esposa: nossa grande atriz é casada com o também ator Mauro Mendonça, e é mãe de três filhos, sendo que um deles é o conceituado diretor Mauro Mendonça Filho. Ao encontrar fãs de Rosamaria espalhados pelo país, não é difícil ouvir descrições emocionantes dos encontros com a atriz, que além de carismática possui uma simplicidade indescritível ao lidar com seus admirados.

Como disse no inicio, um “Tapete Vermelho” seria muito pouco, portando acrescento um trono, para que continue sempre sendo nossa rainha!

Volto na próxima semana!



Escrito por No Mundo dos Famosos às 17h38
[] [envie esta mensagem
] []





TV Tudo: Reprise de A Usurpadora

O SBT E SUAS REPRISES

 

Há quase um mês fiz um post no grupo Galeria de Novelas, no Facebook, falando sobre as excessivas reprises do SBT, que costumam dar certo. E neste mês de março que vai terminando, a coisa não ficou diferente. No último dia 16, voltou ao ar à versão brasileira de Carrossel, no lugar de Rebelde. Surpreendentemente, está dando mais audiência que a inédita (...) Chiquititas. Como resultado, tirou uma boa parcela de audiência da Globo, que está sofrendo com Babilônia, cuja segunda semana registrou apenas 25 pontos de média, e sofrerá alguns ajustes em breve. Voltando ao "Viva da TV aberta" (esse apelido caiu como uma luva!), vem mais naftalina no ar. Nesta segunda está de volta o grande sucesso mexicano A Usurpadora, originalmente de 1999 e que vai para sua quinta reprise (no caso, sexta exibição). A trama é protagonizada por Gabriela Spanic, que marcou época com as gêmeas Paola e Paulina Bracho. Tem como objetivo roubar público de O Rei do Gado, que faz muito sucesso na Globo atualmente. É mais uma reprise? É sim, mas para quem gosta, vai valer a pena ver de novo, sem trocadilhos. Com elas o SBT está onde está, tendo bom retorno de audiência, a baixo custo de produção. Nota de última hora: para depois de A Usurpadora (que dividirá com os capítulos finais de A Feia Mais Bela), o SBT escalou Patrulha Salvadora, spin-off de Carrossel, para as 18h15, o que reduz para apenas meia hora a duração de Chaves nos dias de semana. Empolgou com o sucesso de Carrossel. Não duvido que se der baixa audiência, logo sai do ar, e o velho curinga volta ao horário normal.

 

 



Escrito por No Mundo dos Famosos às 16h40
[] [envie esta mensagem
] []





Entrevista Especial com NATHÁLIA TIMBERG

 

Prosseguindo com as comemorações dos 8 anos do portal “No Mundo dos Famosos” trago como presente para todos vocês uma “Entrevista Especial” com uma grande dama da teledramaturgia brasileira. Ela já deu vida a vilãs irresistíveis, mas também a mulheres bondosas que conquistaram o coração dos brasileiros. No teatro ela é uma das maiores referências, no Cinema, embora seja uma atriz bissexta, é sempre um marco suas participações e na televisão é uma sumidade irrevogável. Atualmente vem dando um show de interpretação na novela “Babilônia”, e causou polêmica ao protagonizar um beijo gay com a veterana e maravilhosa atriz Fernanda Montenegro. Com muito orgulho que eu entrevisto hoje uma das melhores atrizes brasileiras: NATHÁLIA TIMBERG.

“Eu acho que está na hora, principalmente da mídia, acabar com o preconceito, porque a Imprensa vem com muito frisson em cima do beijo gay e por isso gera tanta polêmica. E o beijo gay é uma coisa que já devia ter sido absorvida pela sociedade...”

(Nathália Timberg)

Jéfferson Balbino: Como está sendo contracenar mais uma vez com a magistral atriz Fernanda Montenegro?

Nathália Timberg: Meu querido eu contraceno com a Fernanda há 50 anos e sempre foi muito bom, sempre foi um grande prazer. Engraçado que agora com a reprise de “O Dono do Mundo” as pessoas acham que foi a partir dali que começamos a trabalhar juntas, mas não quando eu contracenei pela primeira vez com a Fernanda você e toda a sua geração não era nem projeto de gente (risos).

Jéfferson Balbino: Atualmente você está no ar na novela “Babilônia” onde você dá vida a Estela que é uma personagem que já surpreendeu o público, sobretudo o conservador, logo no primeiro capítulo. Veremos mais beijos entre a Estela e a Tereza?

Nathália Timberg: Mas porque vocês querem antecipar? Assistam e vejam! (risos). Afinal, a proposta de uma obra é essa: surpreender. É a mesma coisa de quando você vai ler um livro ou ver um filme.

Jéfferson Balbino: Com tantos elementos bons, com a marcante assinatura do brilhante novelista Gilberto Braga você também está confiante no sucesso dessa novela? Acredita que será um dos novos clássicos da teledramaturgia brasileira?

 

Nathália Timberg: Sim... Até porque nessa novela os temas estão propostos e muito bem propostos agora vamos ver como os autores irão nos surpreender como eles irão tratar esses temas...



Escrito por No Mundo dos Famosos às 17h40
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]