Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




ARQUIVO - No Mundo dos Famosos
 


Entrevista Especial com ÂNGELO ANTÔNIO

 


Semana que vem estreia a nova novela das seis da TV Globo, “Sete Vidas”, e pra gente já ir entrando no clima da história da nossa querida Lícia Manzo nada melhor do que entrevistar o intérprete de um dos principais personagens da trama. O entrevistado de hoje do “No Mundo dos Famosos” é um dos atores mais cultos que já conheci, inclusive, eu diria que ele se lembra muito de um personagem que ele deu vida lá nos idos 2001, na novela “O Cravo e a Rosa”, onde viveu o professor e poeta Raimundo o que reforça a tese da nossa magistral atriz Laura Cardoso que diz que ator precisa sempre estudar e ler, afinal isso é fundamental para a formação do intérprete e muito perceptível numa conversa informal ou numa entrevista. A “Entrevista Especial” de hoje é com o ator ÂNGELO ANTÔNIO.

“Jéfferson, eu não gosto de me ver atuando, pois sempre fico incomodado...”

(Ângelo Antônio)

Jéfferson Balbino: Ângelo, a partir do dia 09 de Março você estará no ar como o Vicente na nova novela das seis, “Sete Vidas” (TV Globo/2015). O que o público pode esperar desse seu novo trabalho?

Ângelo Antônio: Ele é um cara normal, simples e humano. Tem problemas cotidianos como os nossos e de repente vê sua vida mudar.

Jéfferson Balbino: E como o Vicente reagirá quando o filho adotivo, o Pedro (Jayme Matarazzo), se aproximar do pai biológico?

Ângelo Antônio: O Pedro sempre soube que é filho adotivo dele, pois ele sempre contou pro filho a verdadeira história. O problema vai ser mesmo quando ele conhecer o pai biológico dele daí a família ira balançar e se desestruturar...

Jéfferson Balbino: O que você ressaltaria do texto da nossa querida Lícia Manzo, autora da novela “Sete Vidas”?

Ângelo Antônio: Eu gosto do texto da Lícia assim como gosto muito dela também. A Lícia é muito moderna, pé no chão, simples, profunda... Eu adoro ela!

Jéfferson Balbino: Mudando de assunto... Atualmente está sendo reprisada pelo Canal Viva a novela “O Dono do Mundo” (TV Globo/1991) onde você deu vida ao personagem Beija-Flor. Como é se rever vinte e poucos anos depois?

Ângelo Antônio: É muito bacana ver a novela, rever os colegas...

Jéfferson Balbino: Mas você se vê com um sentido autocrítico ou como mero telespectador?

Ângelo Antônio: Sabe Jéfferson, eu não gosto de me ver atuando, pois sempre fico incomodado até as novelas que faço atualmente procuro não me ver (risos).

Jéfferson Balbino: Um dos trabalhos mais marcantes da sua carreira ocorreu na novela “Pantanal” (TV Manchete/1990). Como foi participar desse grande clássico da teledramaturgia brasileira?

Ângelo Antônio: “Pantanal” foi incrível, foi inesquecível, foi um presente. O texto do Benedito [Ruy Barbosa] era maravilhoso e tinha a direção do Jayme [Monjardim] que é um grande diretor.

Jéfferson Balbino: Foi muito difícil ter que gravar no Pantanal Mato-Grossense tendo que conviver em meio a sucuris e onças?

 

Ângelo Antônio: Ih rapaz no meio de sucuris eu convivo até hoje (risos)...



Escrito por No Mundo dos Famosos às 20h36
[] [envie esta mensagem
] []





Entrevista Especial com ÂNGELO ANTÔNIO

 

Jéfferson Balbino: Como foi dar vida ao magistral Chico Xavier no Cinema?

Ângelo Antônio: Foi uma das coisas mais lindas que eu fiz na minha carreira de ator.

Jéfferson Balbino: Outro trabalho marcante que você fez no Cinema   foi o longa “Dois Filhos de Francisco”. É muito difícil para o ator compor um personagem real? Como foi o processo de composição desse personagem?

Ângelo Antônio: Achei fácil, pois fui para a fazenda que eles tem em Goiás e convivi uma semana com ele.

Jéfferson Balbino: O que você considera ser o maior desafio para o ator?

Ângelo Antônio: Acho que o maior desafio para o ator é saber envelhecer, aliás, saber envelhecer é o maior desafio do ser humano.

Jéfferson Balbino: Ainda existe algum tipo especifico de personagem que você sonha interpretar?

Ângelo Antônio: Eu tenho vontade de fazer um personagem que não tivesse fala alguma. Um mudo!

Jéfferson Balbino: Como foi ser dirigido pelo magnífico Walter Avancini na novela “O Cravo e a Rosa” (TV Globo/2001)?

Ângelo Antônio: Foi uma experiência incrível... Um aprendizado único!

Jéfferson Balbino: E ele foi muito severo com você (risos)?

Ângelo Antônio: Eu tive a sorte de me dar bem com ele e daí foi maravilhoso (risos).

Jéfferson Balbino: Quais são seus maiores ídolos na teledramaturgia?

Ângelo Antônio: Jéfferson, eu acho que a gente vive num país de artistas, pois tem muitos atores bacanas. Somos um país riquíssimo tanto na arte da interpretação, como na música, como na literatura... Eu acho que isso que nos salva!

Jéfferson Balbino: Você acha que a telenovela pode ser considerada um elemento sócio-cultural?

Ângelo Antônio: Aqui no Brasil sim... Eu acho que faz parte da nossa História.


Jéfferson Balbino: E pelo fato da telenovela ser considerada um elemento de cunho social e cultural aumenta a responsabilidade do ator?

Ângelo Antônio: Acho que sim. E quando pensamos na novela como produto social e cultural é que percebemos a importância que o ator também tem.

Jéfferson Balbino: Tem algum ator ou atriz que você nunca trabalhou mais que gostaria muito?

Ângelo Antônio: Sim... Tem o Lázaro Ramos, o Wagner Moura, o Selton Mello eu nunca trabalhei com eles, mas quero muito trabalhar com esses caras.

Jéfferson Balbino: Querido, super obrigado por conceder essa entrevista ao portal “No Mundo dos Famosos”. Parabéns pela promissora carreira e muito mais sucesso, um grande abraço!

 

Ângelo Antônio: Obrigado você Jéfferson...



Escrito por No Mundo dos Famosos às 20h33
[] [envie esta mensagem
] []





Tapete Vermelho

Que honra! Sinto-me lisonjeado ao fazer parte da família “No Mundo dos Famosos” e só tenho a agradecer ao Jéfferson Balbino por esse espaço. Confesso que sou viciado em TV, mas ao mesmo tempo desligando, principalmente para guardar nomes... (risos)

Fiquei vários dias pensando sobre quem merecia estrear nesse espaço, e realmente não poderia deixar de falar de outra pessoa senão sobre: Regina Duarte.

Quando me perguntam sobre a história de telenovela brasileira, logo me vem à mente eu quando criança dando gargalhadas em frente à TV ao ouvir “Miiiiiiiiinnaa...”. Regina Duarte é uma das poucas atrizes que interpreta com a alma e convence majestosamente como mocinha ou vilã. Falar de todas as suas personagens é praticamente impossível, porém quatro ficarão para sempre em minha memoria: Simone Marques e Rosana Reis (Selva de Pedra/1972), Porcina da Silva (Roque Santeiro/1985) e Clotilde Hayalla (O Astro/2011). Com pouco recurso tecnológico Regina conseguiu em Selva de Pedra envolver o publico de tal maneira que sua mocinha ficou eternizada da historia da tv, a trama de Janete Clair chegou a marcar 100% de audiência, tamanho sucesso. Já a viúva Porcina tinha a veia cômica e ao mesmo tempo um humor sarcástico, poderia até ter sido uma grande vilã, mas como não se apaixonar pelo sotaque e pela luminosidade dessa personagem? A dobradinha entre Regina e Lima Duarte (Sinhozinho Malta), arrebata gerações. Já a socialite Clô Hayalla de O Astro falava com o olhar, apaixonada pelo filho conseguiu enganar o publico sem ser descoberta que era a assassina do ex-marido Salomão Hayalla (Daniel Filho). Não é atoa que Regina Duarte será sempre lembrada como a eterna namoradinha do Brasil.

Até semana que vem!

Por Jaciano Souza

 

E-mail: jaciano.souza@nomundodosfamosos.com.br

 



Escrito por No Mundo dos Famosos às 15h31
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]