Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




ARQUIVO - No Mundo dos Famosos
 


Entrevista Especial de Natal com RICARDO WADDINGTON

 

Hoje eu entrevisto aqui “No Mundo dos Famosos” uma sumidade da história da teledramaturgia e da TV brasileira. Ele é um dos maiores diretores de novelas desse país, foi discípulo de grandes mestres como Walter Avancini, Gonzaga Blota, Atílio Riccó e Fábio Sabag. Já dirigiu verdadeiros clássicos da nossa teledramaturgia como o remake da novela “Selva de Pedra”, “Roda de Fogo”, “Mandala”, “Vale Tudo”, “História de Amor”, “Por Amor”, “Laços de Família”, “A Favorita” e “Avenida Brasil”. Além de minisséries renomadas como: “Sex Appeal”, “Presença de Anita”, “Mad Maria”, O Canto da Sereia” e “Amores Roubados”. Atualmente ele é diretor geral e diretor de núcleo da atual novela das seis da Globo, a excelente “Boogie Oogie”. A nossa “Entrevista Especial de Natal” é o magistral diretor RICARDO WADDINGTON.

“Jéfferson, acho que a telenovela continuará sendo um gênero eterno, mas que terá novos autores, novos diretores e, naturalmente, novos atores, pois é isso que o gênero precisa!”

(Ricardo Waddington)

Jéfferson Balbino: Atualmente você vem dirigindo a novela das seis “Boogie Oogie” (TV Globo/2014) que está conquistando um enorme sucesso, tanto de público como de crítica, a que você atribui esse sucesso?

Ricardo Waddington: Acho que todo esse sucesso está sendo contemplado, principalmente, pelo público porque é uma novela muito boa onde se diverte e se emociona ao mesmo tempo.

Jéfferson Balbino: Você está usando a mesma linguagem que o Daniel Filho utilizou para dirigir a novela “Dancin’ Days” (TV Globo/1978)?

Ricardo Waddington: Não, porque “Dancin’ Days” foi uma novela que retratou muito aquela época e que foi incrível sendo até hoje considerada um clássico da teledramaturgia brasileira que abriu vários caminhos pra gente, foi incrível ter o “Dancin’ Days”, pois eu além de assistir eu estudei essa novela para dirigir “Boogie Oogie” até para ter registro daquela época, foi uma maneira pra eu me aproximar dessa época já que “Dancin’ Days” era uma novela realista, sobretudo, porque o Daniel [Filho] queria fazer uma novela realista e nesse sentido sim tem a mesma linguagem que “Boogie Oogie”, mas no sentido de estética não tem a linguagem que foi adotada pelo Daniel até porque não caberia utilizá-la hoje.

Jéfferson Balbino: Então “Boogie Oogie” é uma novela de época, mas realista?

Ricardo Waddington: Sim, eu só faço novela realista!

Jéfferson Balbino: Ah sim... É uma realidade temporal, né?

Ricardo Waddington: Isso, a realidade daquela época.

Jéfferson Balbino: É uma pena que “Dancin’ Days” não contava naquela época com os recursos tecnológicos que se tem atualmente, né?

Ricardo Waddington: Mas tinha bons atores, bom texto, bom diretor e não precisa mais do que isso para fazer uma novela.

Jéfferson Balbino: Você acha que os recursos tecnológicos disponíveis hoje em dia facilita a direção de uma novela como “Boogie Oogie”?

Ricardo Waddington: Acho que não... O que facilita são bons atores, bons autores e bons diretores. A tecnologia ou facilita ou atrapalha dependendo como se trabalha com ela. O que interessa para um diretor não é a tecnologia em si, mas os talentos!

Jéfferson Balbino: O fato da novela antecessora, “Meu Pedacinho de Chão” (TV Globo/2014), ter sido uma trama rural atrapalhou ou beneficiou “Boogie Oogie” que é a novela dançante? Você acredita que o público de ambas seja o mesmo?

Ricardo Waddington: Acho que o público seja o mesmo sim... Jéfferson, a Globo, historicamente, dentro das novelas, tem vários gêneros e, por isso, é normal essa alternância entre uma novela rural, uma de época, uma urbana ou até mesmo uma fábula rural como foi o caso de “Meu Pedacinho de Chão”, como será normal para o público ver depois de “Boogie Oogie” uma novela contemporânea, depois uma novela espirita, depois uma novela realista de época...

Jéfferson Balbino: Você que é um dos mais renomados diretores de telenovela do Brasil, como analisa a atual fase da teledramaturgia brasileira que é marcada pela baixa audiência?

 

Ricardo Waddington: Eu acho que as novelas ainda continuam ter audiências incríveis só que o panorama das audiências de hoje é um panorama diferente. É ingênuo a gente achar que as novelas de hoje terão as mesmas audiências que se tinham há 20 e 30 anos atrás. A televisão aberta vai se adaptando e se adequando ao seu público, mas ainda são enormes as nossas audiências se a gente imaginar que uma novela que dá 30 pontos e a concorrência no mesmo horário dá 9,8 ou 7 pontos são três vezes a audiência da concorrência, portanto é ainda uma audiência muito grande, aquelas audiências anteriores a gente não vai ter mais, pois isso já faz parte do passado. E isso faz parte da dinâmica do público e do veículo e a gente vai ter que aprender a lidar com isso e tentar cada vez mais aumentar esse diálogo com o público que vê televisão aberta. 



Escrito por No Mundo dos Famosos às 18h02
[] [envie esta mensagem
] []





Entrevista Especial de Natal com RICARDO WADDINGTON

Jéfferson Balbino: Então você não acredita que o formato esteja desgastado como alega muitos especialistas da área?

Ricardo Waddington: Não... O público ainda ama televisão aberta e o público ainda ama novela. A cultura brasileira tem a novela como componente, pois todo brasileiro gosta de assistir uma boa história.

Jéfferson Balbino: Ou seja, o formato da telenovela não precisa de mudanças?

Ricardo Waddington: Acho que isso não vai mudar, o que pode mudar mesmo é a nossa competência de contar boas histórias. E está sendo ótimo esse desafio!

Jéfferson Balbino: Você que dirigiu, ao longo de sua carreira, tantas novelas antológicas o que acredita ser sua maior contribuição para a história da teledramaturgia brasileira?

Ricardo Waddington: Sou um profissional da área, estou há 33 anos na TV Globo, sou um homem de televisão, não sou homem nem de Cinema e nem de Teatro, mas sim de Televisão. Faço televisão aberta e por isso trabalho diariamente para que meus trabalhos tenham qualidade, para que sejam entendidos, para que chegue cada vez mais nas casas das pessoas. Tem toda uma juventude, toda uma criançada que está chegando aí que, embora tenha muitas outras telas para assistir, gostam da TV aberta. Tenho ainda muitos desafios pela frente...

Jéfferson Balbino: Ao longo desses 33 anos, teve alguma cena em especial que você dirigiu, em teledramaturgia, que mais te marcou?

Ricardo Waddington: Tiveram várias (risos)...

Jéfferson Balbino: Mas houve alguma em especial que você poderia destacar?

Ricardo Waddington: É impossível se lembrar de apenas uma em especial (risos).

Jéfferson Balbino: Ou alguma mais difícil de ter dirigido (risos)?

Ricardo Waddington: Mais difícil? A próxima é sempre a mais difícil e sempre a melhor! (risos)

Jéfferson Balbino: No inicio de sua carreira, você se inspirou em algum dos inesquecíveis diretores, como: Gonzaga Blota, Herval Rossano, Walter Avancini, Paulo Ubiratan, etc., que a TV brasileira já teve?

Ricardo Waddington: Eu tive a felicidade de começar na televisão com quem inventou a televisão no Brasil, eu trabalhei com os maiores diretores de televisão como todos esses que você falou e com muitos outros que não eram tão conhecidos, mas que faziam o dia-a-dia da televisão então Jéfferson eu tenho a felicidade de ter sido de uma geração que pegou essa turma.

Jéfferson Balbino: E você é um diretor severo como foi o [Walter] Avancini (risos)?

Ricardo Waddington: Ah Jéfferson, ele é a minha escola né?! (risos)

Jéfferson Balbino: Sacia uma curiosidade nossa: Você também assiste novelas como telespectador?

Ricardo Waddington: Eu assisto novelas como telespectador sim! Eu também estudo novelas como parte do meu trabalho, eu adoro o gênero, mas também faço outras até porque também sou diretor do núcleo de variedades.

Jéfferson Balbino: E quais foram as melhores novelas que você assistiu como telespectador:

Ricardo Waddington: Ah são tantas... Tem muitos autores maravilhosos como o Manoel Carlos, fiz muita novela com o Maneco. Tem muitas novelas boas do Benedito Ruy Barbosa, do Aguinaldo Silva eu está dando um show agora com “Império”. Eu trabalhei com muitos autores, quase todos... Tem também as novelas do Silvio de Abreu, enfim são todos muito bons todos são maravilhosos e todos são grandes heróis, porque você botar 180 capítulos no ar não é brincadeira não, é tarefa de herói (risos).

Jéfferson Balbino: A novela “Avenida Brasil” (TV Globo/2012) que foi dirigida pelo seu núcleo apresentou um folhetim que reúne sua premissa clássica, mas também inovou por sua narrativa ágil. Você atribui esse estrondoso sucesso à essa mistura de estilos dramatúrgicos? Acredita que a novela instaurou na teledramaturgia uma tendência similar a que “Beto Rockfeller” e “Véu de Noiva” instauraram no passado?

Ricardo Waddington: Sim, mas isso foi possível devido ter uma boa história, um bom elenco e uma ótima direção, por isso é sucesso!

Jéfferson Balbino: E, podemos considerar a Amora [Mautner] a versão feminina do Ricardo Waddington?

Ricardo Waddington: A Amora é uma grande parceira, assim como o José Luiz Villamarim, o Rogério Gomes são pessoas que começaram como meus assistentes e que hoje se tornaram diretores de núcleos e isso me dá um enorme prazer porque eu consegui formar bons profissionais e isso também faz parte da minha profissão.

Jéfferson Balbino: Pra finalizar: Quais são suas perspectivas em relação ao futuro da teledramaturgia brasileira?

Ricardo Waddington: Ter a renovação natural através de novos autores que já estão chegando, e como eu te disse Jéfferson, acho que a telenovela continuará sendo um gênero eterno, mas que terá novos autores, novos diretores e, naturalmente, novos atores, pois é isso que o gênero precisa!

Jéfferson Balbino: Ricardo, super obrigado por conceder essa entrevista ao “No Mundo dos Famosos”, foi m prazer ter você como entrevistado. Aproveito para agradecê-lo por tudo que você fez e faz em prol da TV e da teledramaturgia brasileira: Muito obrigado e um grande abraço!

 

Ricardo Waddington: Obrigado a você Jéfferson e parabéns por seu trabalho também que resgata tanta coisa boa da história da teledramaturgia, abraço!



Escrito por No Mundo dos Famosos às 18h01
[] [envie esta mensagem
] []





Ainda Hoje: "Entrevista Especial de Natal" com RICARDO WADDINGTON



Escrito por No Mundo dos Famosos às 17h52
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]