Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




ARQUIVO - No Mundo dos Famosos
 


Entrevista Especial com ARIELA MASSOTTI

 

A entrevista de hoje do “No Mundo dos Famosos” deixou o interior do Rio Grande do Sul aos 17 anos em busca de sua carreira como modelo, insatisfeita com a carreira de modelo, decidiu investir na carreira de atriz, estreou na novela “Bang Bang”, protagonizou a novela “Alta Estação” e em seguida brilhou em “Ciranda de Pedra”, ela é dona de uma beleza incrível e de um talento imensurável. Minha “Entrevista Especial” é com a querida atriz ARIELA MASSOTTI.

“O que mais me gratifica como atriz é ver que as pessoas estão gostando do meu trabalho, sentir o carinho do público vale mais que qualquer coisa no mundo.”

(Ariela Massotti)

Jéfferson Balbino: Ariela, um dos seus trabalhos que eu mais gostei ocorreu na novela “Alta Estação” (Rede Record/2006). Como foi atuar nessa trama inesquecível?

Ariela Massotti: Ah Jéfferson, foi uma diversão pura... Todo o elenco se dava muito bem e eu acho que é isso que passava para quem assistia.

Jéfferson Balbino: Mas vocês já eram amigos antes da novela?

Ariela Massotti: Não (risos)... A gente se conheceu e já começamos a gravar, mas como a gente saia muito juntos e também passava muito tempo juntos, já que gravávamos o dia inteiro, então era uma festa, a gente se divertia muito e isso que a para o ar. Acho que é por isso que tanta gente gostava e gosta até hoje, porque muita gente ainda me fala da Bárbara e de toda a galera da novela, porque era uma coisa diferente, a época não se tinha uma novela como foi essa.

Jéfferson Balbino: As situações vivenciadas pelos personagens de vocês eram tão corriqueira, tão verossímil... Quais eram as fontes de inspirações que vocês tinham para dar vida aqueles jovens tão verdadeiros?

Ariela Massotti: A gente assistiu todas as temporadas de “Friends”, acho que essa foi nossa fonte de inspiração. Porque nessa série americana a história girava em torno de um grupo de amigos... Então tentávamos nos referenciar nessa história de “Friends”.

Jéfferson Balbino: Como você fica quando termina um trabalho e você tem que deixar a personagem que lhe acompanhou por alguns meses? Se sente órfã?

Ariela Massotti: Olha Jéfferson, eu amo todas as personagens que eu fiz, porque eu sempre tive sorte de fazer papeis bons, sempre veio até mim personagens malucas, fora do normal (risos), acho que a Bárbara de “Alta Estação” que foi a mais certinha, mas eu gosto muito de personagens assim porque acaba sendo uma diversão você fazer uma cena jogando suco na cara de alguém, brigando com alguém (risos), é uma delícia fazer, porque a gente ri e se diverte muito. E daí saí do casual da nossa vida até porque no dia-a-dia a gente tem uma vida normal e quando saí da normalidade na ficção dá um gás pra nossa própria vida. Por tudo isso eu tenho um carinho enorme por cada personagem que eu vivi, mas eu também entendo que é uma época, e cada personagem tem a sua e, é isso que faz cada personagem ser tão boa e eu guardar uma recordação e um carinho por cada uma delas.

Jéfferson Balbino: Além de protagonizar “Alta Estação”, posteriormente você também atuou em “Malhação” (TV Globo/2011). As duas novelas é voltadas para o público jovem, porém, cada uma delas retratou esse público de uma forma. Você acredita que “Alta Estação” pode ser considerada um produto superior a “Malhação” já que foi mais verosímil ao retratar o jovem na Universidade?

Ariela Massotti: Ah Jéfferson isso eu não sei. Porque a época eu não comparei, mas fiz “Malhação” depois de uma diferença muito grande de tempo de “Alta Estação”, acho que uns 5 ou 6 anos entre uma e outra e por isso eu não relacionei uma em outra. Mas “Alta Estação” tinha isso de ter e abordar um público mais velho, não era um público tão jovem, eu acho que pela comparação com “Friends” a gente tinha uma história diferente, eles faziam faculdade e não mais o Ensino Médio como a galera de “Malhação” que é mais nova, mas justamente a temporada de “Malhação” que eu fiz tinha também uma história voltada para os jovens mais velhos, tinha toda uma saga onde a gente sumia, enfim a gente saia um pouco daquele núcleo do Múltipla Escolha, mas depois na temporada seguinte voltou a “Malhação” que abordava os jovens mais novos, os adolescentes... Então eu acho que as duas novelas foram semelhantes!

Jéfferson Balbino: A Andrea Horta [atriz] e a Renata Dias Gomes [colaboradora de “Alta Estação”] me disseram que cada um dos protagonistas da novela “Alta Estação” foi criada com base na vida de sobrinhos da Margareth Boury. Você chegou a conhecer e a trocar referenciais com a sobrinha dela que inspirou a autora a criação de sua personagem?

 

Ariela Massotti: Eu acho que não cheguei a conhecer, embora eu fosse muito na casa da Margareth e do Gui [Gilherme Boury], a gente estudava muito, mas acho que não cheguei a conhecer a sobrinha dela, mas esta certa ela em aproveitar a família (risos), pois a família sempre inspira a gente.



Escrito por No Mundo dos Famosos às 22h53
[] [envie esta mensagem
] []





Entrevista Especial com ARIELA MASSOTTI

 

Jéfferson Balbino: Tanto em “Alta Estação” como em “Malhação”, você levava histórias e experiências da sua vida para suas personagens? Para os autores incorporarem ao texto?

Ariela Massotti: Eu acho que a Barbara que saiu do interior de Minas Gerais e ter vindo para o Rio de Janeiro é uma história semelhante a minha, pois eu sai de Três Passos, interior do Rio Grande do Sul e vim para São Paulo e depois para o Rio, então Jéfferson eu tinha isso em comum com a personagem e eu procurava usar essa história de vida de sair de um lugar e ir para o outro e ter que enfrentar todos os problemas tinha haver com a minha vida.

Jéfferson Balbino: Ariela pra você o que é mais gratificante na carreira de atriz?

Ariela Massotti: O que mais me gratifica como atriz é ver que as pessoas estão gostando do meu trabalho, sentir o carinho do público vale mais que qualquer coisa no mundo. E também o fato de não cair numa rotina e na monotonia, eu não conseguiria ficar num emprego monótono fazendo todos os dias a mesma cosa e o meu trabalho como atriz me permite sair da rotina das pessoas normais e fazer outras coisas diferente e isso é o que ais me fascina vivenciar coisas novas.

Jéfferson Balbino: Você também atuou na novela “Bang Bang” (TV Globo/2005) que marcou sua estreia na teledramaturgia. Que lembranças você tem desse trabalho?

Ariela Massotti: “Bang Bang” foi uma delícia fazer... Foi uma personagem pequena que eu fiz em toda a minha carreira, mas era uma delícia porque a novela era ambientada em outro mundo, era como se fosse uma fábula, foi uma novela de época assim como “Ciranda de Pedra”, mas “Bang Bang” era diferente porque era ambientada num mundo surreal, era num deserto... E aquele figurino era incrível, adorei porque eu gravava no núcleo do Cabaret com a Giulia Gam, com a Babi Xavier com aquelas roupas de putas (risos), era fabuloso, era um mundo de faroeste completamente diferente do nosso...

Jéfferson Balbino: “Bang Bang” foi uma novela muito criticada justamente por conta desse enredo inusitado. Quando você atua numa novela que não faz sucesso como no caso dessa você fica frustrada? Como você reage?

Ariela Massotti: Ah Jéfferson eu lamento, mas não tem como mudar a cabeça das pessoas, foi uma proposta inovadora de comédia que fugia daquele rotulo de comédia escrachada, era uma comédia inteligente e que o publico não embarcou. Mas eu aproveitei cada momento de um trabalho que foi único pra mim que não vai ter mais, e por mais que a crítica tem falado mal e o Ibope não tenha sido alto, tinha milhões de pessoas que assistiam e gostavam. Recebi muito carinho por essa personagem que foi um presente na minha carreira.

Jéfferson Balbino: Você também fez um belíssimo trabalho na novela “Ciranda de Pedra” (TV Globo/2008). O que você ressaltaria do texto do nosso querido Tide [Alcides Nogueira]?

Ariela Massotti: Ah o Tide é incrível... Nessa novela tinha as três irmãs e eu peguei logo a Otávia que era a maluca né? (risos). E eu divertia muito em fazer! E o Tide é maravilhoso!

Jéfferson Balbino: E você chegou a assistir a versão original de 1981 para compor a sua personagem?

Ariela Massotti: Eu não vi porque eles não deram pra gente ver e eu na época não consegui achar os vídeos. Mas eu pesquisei um pouco sobre a atriz que fez a versão original e procurei fazer a minha da minha maneira e com base no texto. Só guardo recordações boas dessa novela.

Jéfferson Balbino: E como foi trabalhar com a maravilhosa atriz Ana Paula Arósio?

Ariela Massotti: Foi um presente, essa que foi a última novela que ela fez. Ela é linda, um amor de pessoa e super humilde. Ela é uma atriz incrível de quebrar cenário. Faz tudo com muita verdade. Todo mundo entrava pra ver as cenas que ela fazia, era uma escola pra mim contracenar com ela.

Jéfferson Balbino: E quando veremos você novamente as novelas?

Ariela Massotti: Estou contratada da Globo desde que eu fiz “Malhação”, mas faz um tempo que estou sem proposta. Mas estou com um projeto de Teatro onde estamos ensaiando desde agosto.

Jéfferson Balbino: Querida, foi uma super honra te entrevistar. Adoro muito seu trabalho, parabéns pela carreira. Beijos e muito mais sucesso!

 

Ariela Massotti: Obrigada Jéfferson, também adorei essa entrevista, beijos!



Escrito por No Mundo dos Famosos às 22h51
[] [envie esta mensagem
] []





Ainda Hoje: Entrevista Especial com ARIELA MASSOTTI



Escrito por No Mundo dos Famosos às 22h50
[] [envie esta mensagem
] []





Entrevista Especial com CAIO BLAT

 

O “No Mundo dos Famosos” entrevista hoje um dos melhores atores dessa geração. Ele já deu vida a inúmeros personagens inesquecíveis, já protagonizou novela ao lado do magistral ator Tarcísio Meira, já deu vida a vilões fascinantes e mocinhos marcantes e essa brilhante carreira que construiu e vem construindo a cada trabalho só foi possível graças a sua impecável interpretação, a seu impecável talento. Atualmente vem dando um show de interpretação como o João Pedro na atual novela das nove, “Império”. A nossa “Entrevista Especial” é com o querido e competente ator CAIO BLAT.

“O público brasileiro é muito complexo, por isso os personagens também tem que ser complexos.”

(Caio Blat)

Jéfferson Balbino: Caio, como está sendo dar vida ao João Pedro na novela “Império” (TV Globo/2014)?

Caio Blat: Ah Jéfferson, está sendo muito bom porque o João Pedro é um personagem muito forte, muito ambicioso, muito ousado, muito imprevisível, pois ao mesmo tempo é um homem fraco, já que é manipulado, faz coisas que a mulher quer. Enfim, tem sido um ótimo personagem, está sendo muito bom fazer ele.

Jéfferson Balbino: E como foi o processo de composição dele?

Caio Blat: Ah eu trabalho muito com meus colegas, eu acho que todo personagem realmente só acontece quando o elenco se encontra, então eu jogo muito com meus colegas. No elenco de “Império” contraceno com a minha mulher [a atriz Maria Ribeiro], e estou muito mais feliz ainda por contracenar com ela.

Jéfferson Balbino: E todos os seus personagens são criados a partir dessa troca com os colegas de cena?

Caio Blat: Acho que todos os meus personagens só nascem mesmo na contracena, no jogo com os outros atores, por isso não gosto nem de ensaiar sozinho.

Jéfferson Balbino: Ser esposo na vida real é o fator que te dá mais segurança em ser esposo na ficção da personagem da Maria Ribeiro?

Caio Blat: Sim, contracenar com a Maria é mais que um privilégio, é um prazer!

Jéfferson Balbino: Vocês levam a intimidade da vida real para o casal que vocês fazem na ficção?

Caio Blat: Sim... A nossa intimidade ajuda contribuindo bastante pra cena e ao mesmo tempo é uma brincadeira divertida porque o casal da novela é muito diferente de nós.

Jéfferson Balbino: Chegou a ser cansativo ter emendado “Joia Rara” (TV Globo/2013) em “Império” (TV Globo/2014)?

Caio Blat: Quando o projeto é bom como é “Império” além de não ser cansativo, nos deixa muito animado para recomeçar, por isso até me esqueço que emendei um trabalho no outro sem ter tido férias.

Jéfferson Balbino: Você também fez ótimos trabalhos fora da teledramaturgia da Globo, como nas novelas: “Éramos Seis” (SBT/1994) e em “As Púpilas do Senhor Reitor” (SBT/1995). Como foi atuar nessas novelas clássicas?

Caio Blat: Foi um momento importante para mim, pois acredito que comecei num momento privilegiado, eu morava em São Paulo e o SBT começou a produzir essas novelas lá em São Paulo, e creio que esses trabalhos foram muito importantes para a minha formação, fico muito feliz em reencontrar o Othon Bastos agora em “Império”, porque ele fazia meu pai na novela “Éramos Seis”, por isso considero ele meu padrinho na minha carreira, foi muito bom começar a minha carreira com trabalhos tão bons como esses...

Jéfferson Balbino: Você também deu um show de interpretação na novela “Da Cor do Pecado” (TV Globo/2004). O que você destacaria desse trabalho?

Caio Blat: Esse é outro trabalho especial para mim, foi muito legal fazer o Abelardo, ele é um personagem inesquecível, tinha todo aquele lado artístico, era todo desajustado.

Jéfferson Balbino: E como você trabalhou o perfil psicológico desse maravilhoso personagem?

Caio Blat: Através da ousadia tanto do João Emmanuel [Carneiro] ao escrever quanto a nossa na interpretação. Era um personagem engraçado, adorei estar do lado da Rosi [Campos] que é uma ‘monstra’ na comédia, enfim tudo isso contribuiu para ser um personagem inesquecível.

Jéfferson Balbino: E fazer comédia é realmente mais difícil do que fazer o drama?

Caio Blat: Ah Jéfferson, se é mais difícil eu não sei, mas que é mais prazeroso isso é (risos)...

Jéfferson Balbino: Eu me lembrei agora de um outro personagem seu que eu gostava muito que era o Matheus de “Coração de Estudante” (TV Globo/2002) que era um personagem revoltado...

Caio Blat: É verdade... Ah, eu tive a sorte de fazer bons personagens, de varias bastante na carreira, de personagens diferentes, de fazer personagens com tintas fortes, de humanizar os personagens. Quando faço um vilão coloco fraquezas neles, se faço um mocinho ele tem que ter um lado difícil também. O público brasileiro é muito complexo, por isso os personagens também tem que ser complexos. Eu gosto muito de trabalhar e tenho muito orgulho de estar desde pequeno trabalhando.

Jéfferson Balbino: E como foi trabalhar com o nosso querido Tide [Alcides Nogueira] na novela “Ciranda de Pedra” (TV Globo/2008)?

Caio Blat: Ah o Alcides é um querido, foi maravilhoso meu personagem em “Ciranda de Pedra”, foi um verdadeiro presente. Eu adoro os autores com quem já trabalhei, estou adorando trabalhar pela primeira vez com o Aguinaldo que é um autor repleto de personagens ousados. Eu gosto de servir sempre textos bons, é isso que importa!

Jéfferson Balbino: O que é mais gratificante na carreira de ator?

Caio Blat: Acho que é a continuidade do dia a dia...

Jéfferson Balbino: Querido, super obrigado por conceder essa entrevista ao “No Mundo dos Famosos”. Parabéns pela brilhante carreira, e muito mais sucesso. Abraço!

 

Caio Blat: Obrigado Jéfferson, sucesso e abraço pra você também!



Escrito por No Mundo dos Famosos às 20h53
[] [envie esta mensagem
] []





Ainda Hoje: Entrevista Especial com CAIO BLAT



Escrito por No Mundo dos Famosos às 20h52
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]