Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




ARQUIVO - No Mundo dos Famosos
 


Entrevista Especial com RUI VILHENA

 

Hoje estréia a nova novela das seis da Globo: “Boogie Oggie”, uma trama dançante que irá reviver o melhor dos anos 1970, a era da disco music. E a “Entrevista Especial” de hoje do “No Mundo dos Famosos” é com o criador dessa nova história que já tem tudo para nos envolver. Ele que já tem uma renomada carreira como novelista em Portugal faz agora sua estréia como autor titular no Brasil e como cresceu assistindo as novelas brasileiras entende muito bem do metiê o que nos leva a crer que ele é uma das grandes promessas da nova geração de autores na teledramaturgia brasileira. Meu entrevistado é o querido e talentoso RUI VILHENA.

“O mais gratificante na vida de qualquer artista é você ver o produto final do seu sonho...”

(Rui Vilhena)

Jéfferson Balbino: Rui, como foi o processo de criação de “Boogie Oggie” (TV Globo/2014)?

Rui Vilhena: Ah Jéfferson, primeiro eu pensei numa boa história (o que é fundamental) e depois eu pensei nos elementos que vão compor essa boa história e aí veio a idéia dos anos 1970, as ramificações, os sub-splot’s todos... E tudo começa realmente da espinha dorsal da idéia principal...

Jéfferson Balbino: E o que o público do horário das seis pode esperar da sua novela? Você acredita que o público que vinha acompanhando “Meu Pedacinho de Chão” (TV Globo/2014), a novela antecessora, que era uma trama lúdica está preparado para acompanhar “Boogie Oggie” que é uma novela dançante e mais ágil?

Rui Vilhena: “Boogie Oggie” é uma novela que vai reviver todo aquele clima dos anos 1970 e quem viveu vai poder reviver e quem não viveu vai poder saber como é que foi (risos). Acredito que o público do Benedito [Ruy Barbosa] que assistir [Boogie Oggie] vai gostar!

Jéfferson Balbino: Ruy, como foi seu contato com a teledramaturgia brasileira? Qual foi a primeira novela que você assistiu?

Rui Vilhena: Jéfferson, eu vim para o Brasil quando eu tinha 2 anos de idade então eu cresci vendo novela desde que eu me entendo por gente. Lembro da minha família toda sentada na sala e assistindo novela na época que a televisão ainda era em preto-e-branco, então cresci vendo as novelas da Janete Clair e por isso eu já tenho toda essa cultura brasileira de assistir novelas correndo nas minhas veias...

Jéfferson Balbino: Há alguma diferença entre escrever novelas no Brasil e em Portugal?

Rui Vilhena: Sabe Jéfferson que eu não vejo diferença nenhuma... Principalmente porque a indústria da novela em Portugal foi toda montada em cima do modelo brasileiro e por isso eu não vejo tanta diferença.

Jéfferson Balbino: Quando começou as chamadas de “Boogie Oggie” todos nós fizemos uma analogia com a novela “Dancin’ Days” (TV Globo/1978), talvez por ser uma novela dançante e que também se passa nos anos 1970. A novela do Gilberto Braga te inspirou, em algum aspecto, na criação de “Boogie Oggie”?

Rui Vilhena: A comparação se dá pela época, “Boogie Oggie” se passa em 1978 e “Dancin’ Days” foi exibida em 1978, portanto há sim certa inspiração na novela do Gilberto Braga.

Jéfferson Balbino: Portanto, essa inspiração se restringe apenas na temática, é isso?

Rui Vilhena: Sim, apenas na temática dos anos 1970, até porque a novela dele se passa nos anos 1970 e se foi ao ar nos anos 1970. E era uma novela bastante realista e nesse aspecto “Boogie Oggie” tem também um tom bastante realista.

Jéfferson Balbino: E quais os cuidados que você tem escrever ao escrever uma novela ambientada nos anos 1970?

Rui Vilhena: Ah Jéfferson, tem ‘por menores’ que a gente tem que ficar mais atento e ativar a minha memória, porque na época eu tinha 18 anos, aí de repente tem uma cena que tem um microondas e você tem que lembrar que não tinha microondas, enfim... Mas eu tenho uma excelente pesquisadora e as dúvidas que surgem ela resolve em dois segundos.

Jéfferson Balbino: E você aos 18 anos na década de 1970 também freqüentava as discotecas?

Rui Vilhena: Sim, até porque aos 18 anos você está no auge de sua juventude e eu freqüentava, o Papagaio, o Dancin’ Days, depois o Noites Cariocas, o Tropicana, o New York City...

Jéfferson Balbino: Quando você escreve uma novela tem algum personagem que você se identifica mais ou tem um carinho um pouco mais especial?

Rui Vilhena: Todo personagem que escrevo tem um pouco de mim e da minha experiência de vida...

Jéfferson Balbino: E pra você o que é mais gratificante na carreira de novelista?

Rui Vilhena: O mais gratificante na vida de qualquer artista é você ver o produto final do seu sonho. É você ter uma idéia, sonhar com ela e ver a realidade, então no meu caso, ver as imagens daquilo que está no papel é extremamente gratificante.

Jéfferson Balbino: E como você lida com o isolacionismo que a profissão de novelista ocasiona?

Rui Vilhena: Ah Jéfferson esse isolacionismo faz parte... Enquanto eu estou trabalhando, escrevendo eu estou feliz, porque eu estou fazendo o que eu gosto, é um privilégio. Então esse isolacionismo é exatamente o contrário, afinal eu estou vivendo outras vidas que não são a minha e isso é muito legal, principalmente porque eu sou uma pessoa bastante inquieta e poder viver outras vidas, criar outras vidas é uma forma até deu não pensar muito na minha (risos).

Jéfferson Balbino: E “Boggie Oggie” será uma novela curta como está sendo as tramas do horário das seis? Já tem uma previsão de quantos capítulos ela terá?

Rui Vilhena: Ainda não sabemos exatamente... O que posso te dizer é que ela irá até o primeiro trimestre do ano que vem.

Jéfferson Balbino: Querido, obrigado por conceder essa entrevista ao “No Mundo dos Famosos” e muito sucesso pra “Boogie Oggie”, um grande abraço!

Rui Vilhena: Obrigado querido! Pra todos nós...

 

 



Escrito por No Mundo dos Famosos às 20h36
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]