Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




ARQUIVO - No Mundo dos Famosos
 


ENTREVISTA ESPECIAL com: RUTH DE SOUZA

 

 

Hoje a nossa “Entrevista Especial” é com uma das maiores atriz de todos os tempos do Brasil. Ela é pioneira não apenas por exercer seu ofício, mas também por ser a primeira atriz negra a subir no palco do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, é uma grande referência na Arte brasileira. Ela transitou pelo Cinema, no Teatro e na TV sempre dando vidas a personagens inesquecíveis que sempre nos marcam. Com muito orgulho que hoje eu entrevisto aqui “No Mundo dos Famosos” a brilhante e super talentosa atriz RUTH DE SOUZA.

“Enquanto a direção e produção tiverem somente nas mãos de autores, diretores e produtores brancos nunca reservaram bons papéis para os atores negros até porque sempre tem muitos e bons atores brancos na competição.”

(Ruth de Souza)

Jéfferson Balbino: Dona Ruth, como surgiu seu interesse pela carreira artística?

Ruth de Souza: Olha Jéfferson, eu acho que desde menina porque a minha mãe gostava muito de ir e me levar ao Cinema, ela me levava no Cinema uma vez por semana e eu me encantei com os filmes, com as atrizes e escolhi essa profissão.

Jéfferson Balbino: Então foi a sua mãe quem lhe motivou a seguir essa carreira?

Ruth de Souza: Sim, porque ela gostava muito de teatro, muito de cinema e me levava sempre...

Jéfferson Balbino: A senhora foi a primeira atriz negra a subir no palco do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Na época, como foi a emoção em conseguir esse feito logo numa época em que os negros não tinham tanto reconhecimento na sociedade brasileira?

Ruth de Souza: Jéfferson, eu nunca tive muita consciência do que eu estava fazendo, só sabia que eu queria fazer teatro e queria fazer cinema. Então eu fui convidada pra fazer a peça e fui com o que cada ator vai ao fazer uma personagem: com a emoção.

Jéfferson Balbino: No seu começo de carreira houve ou não alguma dificuldade pra senhora de estabilizar como atriz?

Ruth de Souza: Não Jéfferson, pois eu tive muita sorte, encontrei pessoas bacanas que acreditaram em mim me incentivando como o Pasqual Carlos Magno, Vinícius de Moraes, Jorge Amado e Nelson Rodrigues que sempre estavam junto comigo me incentivando. O Pasqual arranjou uma bolsa pra mim nos Estados Unidos, enfim minha carreira não foi tão difícil como todos pensam. Eu tive sorte e Deus me ajudou bastante.

Jéfferson Balbino: Que lembranças a senhora tem desse período que estudou nos Estados Unidos?

Ruth de Souza: As melhores lembranças possíveis, pois foi isso que me ajudou muito. O fato de estudar lá fora numa época que não era tão fácil como é hoje, foi um espanto... Eu fiquei muito admirada em ganhar uma bolsa.

Jéfferson Balbino: Sua estreia em novelas ocorreu em “A Deusa Vencida” (TV Excelsior/1964). Como foi essa primeira experiência em teledramaturgia?

Ruth de Souza: Como eu já fazia teatro não foi dificil. O teatro e televisão é mais ou menos a mesma coisa.

Jéfferson Balbino: Enquanto a senhora fazia essa novela chegou a ter um contato próximo com a autora Ivani Ribeiro?

Ruth de Souza: Mais ou menos... Acho que nessa época era muito mais fácil do que hoje ter contato e encontrar com os autores. Nós vivíamos na casa de Janete Clair e Doas Gomes. A Ivani Ribeiro também sempre foi uma grande amiga, sempre nos víamos na Vera Cruz, enfim era mais fácil eu ter contato com os autores do que hoje que quase não encontro os autores pra conversar.

Jéfferson Balbino: E o que a senhora destacaria do seu trabalho nas novelas: “Passo dos Ventos” e “A Cabana do Pai Tomás”?

Ruth de Souza: Eu não vou saber destacar até porque todos os trabalhos que eu fiz eu gostei na mesma intensidade.

Jéfferson Balbino: O que lhe é mais gratificante na carreira de atriz?

Ruth de Souza: Jéfferson, ser atriz é um trabalho como outro qualquer sendo muito difícil, mas que me dá uma alegria enorme e que é uma forma pra eu continuar vivendo a vida.

Jéfferson Balbino: Em algum momento de sua vida a senhora sofreu algum tipo de preconceito vindo por alguém da classe artística?

Ruth de Souza: Não pelo seguinte: eu acho que a arma que a gente tem contra o preconceito é a educação, postura e comportamento. Você tendo postura e comportamento lutando sempre por seu trabalho e por sua carreira você luta contra o preconceito que sempre haverá de todo jeito. Mas é claro que tem preconceito velado na classe artística até porque são limitados os papéis para o ator negro, mas Deus me ajudou muito e eu tive a sorte de fazer uma carreira gostosa e aberta nunca arei de trabalhar.

Jéfferson Balbino: Até a década de 1990 os atores negros no Brasil só interpretavam na TV papéis de escravos ou personagens pobres depois que essa situação foi melhorando. Mas a senhora é uma das poucas exceções visto que nesse período a senhora chegou a interpretar juízas... No entanto, o fato de seus colegas terem sido chamados nesse período para interpretarem esses tipos de personagens chega a ser um preconceito artístico contra eles?

Ruth de Souza: Jéfferson, o grande problema é que nós não temos na TV autores negros e os autores brancos só sabem falar do mundo deles, sob a ótica deles... Então o que a gente vê a mulher negra sempre explorada como a sexy e isso é uma coisa que tem impregnada na cabeça das pessoas, porém, se tivéssemos autores negros faríamos coisas como eu fiz no filme “Filhas do Vento”, sob produção do Joelzito Araújo, eram autores negros, ganhamos 9 prêmios... Então enquanto a direção e produção tiverem somente nas mãos de autores, diretores e produtores brancos nunca reservaram bons papéis para os atores negros até porque sempre tem muitos e bons atores brancos na competição. Eu tive sorte porque não fiz somente escravas como muitos colegas, fiz juízas, professoras, promotoras, pianista, enfim eu tive sorte de pegar bons papéis. Mas fiz escravas também que muito me honraram e alegraram como na novela “Sinhá Moça”, num “Caso Verdade”...

Jéfferson Balbino: No caso da novela “A Cabana do Pai Tomás” que era protagonizada por um ator branco, o Sérgio Cardoso, que dava vida a um negro. A senhora como militante da causa negra repudiava com o fato de um ator branco ter que se pintar pra dar vida a um personagem negro?

Ruth de Souza: Não pelo seguinte, o Sergio Cardoso era uma pessoa maravilhosa e muito amigo meu. Ele fez também português, e ele queria fazer negro também e como na época o Milton Gonçalves que já trabalhava na Globo não tinha o nome que tem hoe pois ainda estava em inicio de carreira então o Sérgio Cardoso foi pra Globo e eu não achei nada de mal o fato dele ter que se pintar de negro até porque foi uma novela que deu a oportunidade de muitos atores negros mostrar seu trabalho.

Jéfferson Balbino: Na teledramaturgia teve algum trabalho que mais lhe marcou?

Ruth de Souza: Acho que todos foram importantes, mas gosto muito do meu trabalho em “O Bem Amado” e em “Os Ossos do Barão” que eu era a neta do barão. Eu tive bons papéis como lhe disse.

Jéfferson Balbino: E no Teatro teve algum espetáculo que foi mais trabalhoso pra senhora fazer? Que lhe exigiu maior comprometimento cênico...?

Ruth de Souza: Sim e foi a peça que mais sucesso fez que foi “Oração para uma Negra” e “Oito Mulheres” que foi a última peça que eu fiz.

Jéfferson Balbino: A senhora também fez a novela “O Clone” (TV Globo/2001) onde contracenou com a nossa querida Léa Garcia. Como foi contracenar com ela? O que a senhora nos conta da belíssima amizade de vocês?

Ruth de Souza: Somos amigas há muito tempo, trabalhamos em peças de teatro, na novela “O Clone”, enfim é muito bom ser amiga dela.

 



Escrito por no mundo dos famosos às 16h32
[] [envie esta mensagem
] []





ENTREVISTA ESPECIAL com: RUTH DE SOUZA

 

Jéfferson Balbino: E como ocorre o processo de composição de suas personagens?

Ruth de Souza: Tenho vária maneiras de compor e depende de cada personagem, tem personagens que vou compondo de maneira natural, outras não... Enfim, se eu fosse lhe explicar acho que levaria vários anos (risos). Cada trabalho é diferente, é uma pessoa diferente que requer um tipo único de tratamento.

Jéfferson Balbino: Ainda há algum tipo de personagem que a senhora nunca interpretou mais que tem vontade de fazer?

Ruth de Souza: Eu gostaria de fazer um bom papel seja ele qual for sendo um bom papel é o que me importa.

Jéfferson Balbino: Recentemente a senhora recebeu uma Comenda na Presidenta Dilma. Como foi a emoção em ter o reconhecimento do seu trabalho com uma ilustre homenagem?

Ruth de Souza: Então recebi essa Comenda da Ordem de Rio Branco e fiquei muito emocionada e comovida porque eu sou comendadora pelos meus trabalhos que fiz e, é sempre bom ter nosso trabalho reconhecido.

Jéfferson Balbino: Quais são seus ídolos na dramaturgia brasileira?

Ruth de Souza: Eu admiro muito Bibi Ferreira que é uma artista completa já que ela atua, canta, dirige é uma atriz completa. Sou fã também da Nathália Timberg que é uma atriz admirável.

Jéfferson Balbino: E a senhora já tem previsão de quando retornará a atuar na televisão?

Ruth de Souza: Sou funcionária da Globo e dependo da escalação deles, mas quero muito voltar logo.

Jéfferson Balbino: E a senhora é uma atriz que gosta de assistir novelas?

Ruth de Souza: Eu gosto muito de assistir novelas, principalmente para ver o trabalho dos colegas, eu gosto de analisar câmera, figurino, produção. Gosto também de assistir filme, gosto muito de Cinema!

Jéfferson Balbino: Já entrevistei vários atores, muito deles consagrados que me confidenciaram que não assistem e/ou que não gostam de assistir novelas? A senhora acha que ator de televisão tem por obrigação assistir novela?

Ruth de Souza: Depende de cada ator, pois também há muitos que gostam e outros que não gostam de ver seu próprio trabalho. Eu gosto de me analisar pra corrigir meus erros e não repetir erros e gosto de assistir também pra acompanhar o trabalho dos colegas vê quem está indo bem e quem não está...

Jéfferson Balbino: E quais foram as melhores novelas que a senhora já assistiu?

Ruth de Souza: Já assiste tantas novelas que não posso julgar assim...

Jéfferson Balbino: Tem algum papel interpretado por outra atriz que se a senhora tivesse oportunidade gostaria de ter feito?

Ruth de Souza: Eu gosto muito de bons papéis, mas não gosto de inveja (risos), então quando uma outra atriz faz um bom trabalho eu fico feliz por ela também.

Jéfferson Balbino: Que balanço a senhora faz da sua carreira?

Ruth de Souza: Graças a Deus eu fiz uma boa carreira, sempre fui muito ética, correta... Nunca tive uma carreira de altos e baixos, consagrei meu nome pelos trabalhos que eu fiz, tenho grande consideração pelo meu trabalho e agradeço a Deus pela carreira que fiz.

Jéfferson Balbino: A senhora atribui a que essa brilhante carreira?

Ruth de Souza: Eu acho que pela minha tenacidade e pela minha paciência. Sou muito disciplinada e acho que ator tem que ter tudo isso e gostar muito do seu trabalho e eu gosto muito e tenho tudo isso.

Jéfferson Balbino: E o que a senhora acredita ter sido sua maior contribuição pra história da (tele) dramaturgia brasileira?

Ruth de Souza: Para os outros eu não sei, mas para mim a contribuição que o meu trabalho me deu foi a oportunidade de ter uma vida tranquila para mim e para minha família.

Jéfferson Balbino: E que dica a senhora deixa pra quem almeja seguir e construir uma brilhante carreira como a sua?

Ruth de Souza: Começar sabendo se gosta realmente do seu ofício e saber que não é fácil. Por isso tem que ter muita tenacidade, muita paciência e força de vontade.

Jéfferson Balbino: E quais são suas perspectivas em relação ao futuro da dramaturgia brasileira?

Ruth de Souza: Eu acho que tem autores muito interessantes e isso depende muito dos novos autores. Mas eu tenho saudade e gosto muito dos antigos autores como o Benedito Ruy Barbosa, estou amando a novela dele que ele esta fazendo um trabalho maravilhoso, gosto muito da Glória Perez também. E tenho muita saudade de Jorge Amado, Dias Gomes e Janete Clair.

Jéfferson Balbino: Em breve a Globo produzirá um remake da novela “O Rebu” (TV Globo/2014), novela essa que a senhora fez no passado. Como a senhora se sente ao ver outra atriz dando vida a uma personagem que já foi sua?

Ruth de Souza: Ah eu não gosto muito de ver não! Eu não gosto nem de ver novelas que já foi feita antes, com exceção, dessa das 18 horas, a “Meu Pedacinho de Chão” porque essa tem a direção do Luiz Fernando Carvalho que é um artista maravilhoso e já é a terceira versão dessa história do Benedito e está linda essa versão, é fantasiosa e maravilhosa. Foi feita antes na TV Tupi e no princípio da Globo e agora está aí a terceira versão que é maravilhosa.

Jéfferson Balbino: Dona Ruth quero demais lhe agradecer por conceder essa entrevista ao “No Mundo dos Famosos”, foi uma honra ter uma ilustre atriz como a senhora. Quero ainda lhe agradecer por tudo que a senhora fez em prol da arte. Muito mais sucesso e saúde. Um grande abraço!

Ruth de Souza: Eu que lhe agradeço e peço desculpa se eu não dei um bom material. Obrigada e um abraço pra você também Jéfferson!

 



Escrito por no mundo dos famosos às 16h32
[] [envie esta mensagem
] []





Ainda Hoje: ENTREVISTA ESPECIAL com: RUTH DE SOUZA



Escrito por no mundo dos famosos às 16h31
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]