Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




ARQUIVO - No Mundo dos Famosos
 


ENTREVISTA ESPECIAL com: DAISY LUCIDI

 

 

Hoje eu entrevisto uma artista múltipla, ela já foi vereadora e deputada, já atuou no cinema, no rádio, no teatro e na TV e ainda é uma dos principais nomes do radialismo brasileiro de todos os tempos. Em breve ela retornará nas novelas na próxima trama do nosso querido novelista Gilberto Braga. A “Entrevista Especial” de hoje do “No Mundo dos Famosos” é com a querida DAISY LUCIDI.

“Jéfferson eu tive uma carreira muito bonita e não posso reclamar estou empregada desde os 6 anos onde já fiz: rádio, teatro, cinema e televisão. Já transitei nas mais variadas modalidades de arte... Graças a Deus!”

(Daisy Lucidi)

Jéfferson Balbino: Dayse, como surgiu sua vocação para a carreira artística?

Daisy Lucidi: Eu comecei a fazer arte quando eu tinha 6 anos de idade, eu participei de um concurso de atores amadores que pertenciam a Escola de Artes Dramáticas da Escola Normal e eu ensaiava com meu pai uma peça que eu nunca cheguei a representar e ele fazia parte de um curso de teatro e eu fui com ele lá e eles estavam querendo uma menina para uma peça para entrar nesse concurso de amadores porque a moça que iria fazer estava muito grande pra fazer a menina da peça. Aí eu me apresentei e fui fazer essa peça que se chamava “Nuvem” de Coelho Neto e nós ganhamos o concurso e depois me chamaram para fazer rádio. Participei de outros grupos teatrais e de outros concursos quando um dia um diretor da Rádio Tupi chamado Teófilo de Barros Filho, que era um homem importante, e ele me chamou para ir pra Tupi fazer teatro lá e eu fui tinha nessa altura 7 anos de idade e nunca mais parei. 

 



Escrito por no mundo dos famosos às 22h29
[] [envie esta mensagem
] []





ENTREVISTA ESPECIAL com: DAISY LUCIDI

 

Jéfferson Balbino: E como foi seu ingresso na televisão?

Daisy Lucidi: Quando eu já estava moça chegou a televisão e nós fazíamos teatros completos, a Rádio Nacional alugou um horário e nós fazíamos teatros completos no “Teatro Orniex” então eram peças completas, mas eu já havia feito o programa do Jaci Campos na Tupi que se chamava “Câmera 1”. Depois a TV Rio se inaugurou e eu fiz o “Teatro Moinho de Ouro” aos domingos, fui chamada pelo Vitor Berbara e eu fui lá representar fazendo toda a temporada deles. E eu fiquei esperando chegar a televisão da Rádio Nacional que não chegou por ordem e intriga do Assis Chateaubriand que não deixou a Rádio Nacional ter a sua televisão e aí continuei e continuo fazendo rádio até hoje. E nos últimos anos voltei depois de 30 anos a fazer televisão, tinha parado para fazer política, onde fui vereadora e depois tive 4 mandatos como deputada e depois voltei pra TV com a novela do Gilberto Braga: “Paraíso Tropical” onde foi muito bom. Depois disso fiz a novela “Passione” do Silvio de Abreu e foi melhor ainda pois repercutiu muito por ser um papel difícil.

Jéfferson Balbino: E qual foi sua fonte de inspiração para interpretar aquela encrenqueira síndica Iracema em “Paraíso Tropical” (TV Globo/2007)?

Daisy Lucidi: Eu não me inspirei em ninguém propriamente, me guiei pelo texto e assim aconteceu também em “Passione” onde eu engordei 7 kilos para fazer aquela mulher bonachona e mau caráter. Eu achei que ela gorda daria mais efeito...

Jéfferson Balbino: No caso da Valentina de “Passione” (TV Globo/2010) como você trabalhou o perfil psicológico da personagem?

Daisy Lucidi: Eu acho que pelo instinto que vinha do texto, comecei a ler e me inspirei. Eu não sei muito explicar como elaboro essas personagens, pois vou lendo e me inspirando com o que está escrito ali.

Jéfferson Balbino: Você também atuou em algumas novelas clássicas da teledramaturgia brasileira como: “Supermanoela” (TV Globo/1974), “Bravo” (TV Globo/1975) e “O Casarão” (TV Globo/1976). Como foi atuar nessas inesquecíveis novelas?

Daisy Lucidi: Ah Jéfferson foi muito bom... Mas sabe que pra mim foi melhor atuar nessas últimas novelas que ei fiz, porque agora há mais recurso tecnológico, naquele tempo era tudo muito complicado. Eu fiz televisão na época que não havia videoteipe.

Jéfferson Balbino: E o que você destacaria do seu trabalho no Cinema?

Daisy Lucidi: O último trabalho que eu fiz o “Vendo ou Alugo” que foi uma comédia muito interessante que repercutiu muito bem e nos deu 12 prêmios no Festival de Pernambuco e uma menção honrosa ao nosso grupo de velhinhas que era eu, a Carmem Verônica e a Isis Soares e deram um prêmio especial por nossa atuação e foi muito bom. Eu pedi para fazer uma velha meio avoada e foi à velhinha mais engraçada que tinha no filme.

Jéfferson Balbino: Qual foi o momento mais marcante de sua carreira no Rádio?

Daisy Lucidi: A minha atuação nas radionovelas da Janete Clair na Rádio Nacional, as novelas do Mário Lago, do Mário Brazini, do Dias Gomes. Eu fiz as radionovelas que marcaram época. Depois eu fui fazer o programa “Alô Dayse” onde conversamos com o público, prestamos serviços e esse programa começou num período muito difícil que era o da maior censura que o Brasil já teve em 1971 onde a gente não podia falar nada e nem reclamar e na Rádio Nacional que era do Governo. E eu nunca obtive nenhum tipo de reclamação ou alguma resposta negativa. Fazia o programa e reclama das coisas e eu pude formar uma creche com 70 crianças dentro de uma favela com a ajuda de nossos ouvintes. Foi uma creche que o programa manteve dentro da favela por 16 anos e isso é um grande orgulho pra mim porque nenhum programa de rádio até hoje conseguiu manter uma creche dentro de uma favela por 16 anos com a ajuda do seus ouvintes. E foi um marco importante dentro do radialismo brasileiro que foi importante pra mim e para os ouvintes também.

Jéfferson Balbino: E que lembranças você tem da época que fazia radioteatro com os atores Paulo Gracindo e com o Mário Lago?

Daisy Lucidi: Foi muito bom! Quando eu estava na Tupi o Paulo Gracindo já estava na Tupi fazendo radioteatro e eu com 8 anos fazia a filha dele, depois na Rádio Nacional eu fiz a namorada dele (risos). E depois fizemos uma peça de muito sucesso que ficou 1 ano em cartaz no Teatro Copacabana que foi a peça “Frank Sinatra 4815” e eu era a mulher dele e era uma peça muito engraçada. Fizemos também a peça “O Preço”, onde o Paulo fazia um judeu num trabalho extraordinário. E o Mário Lago já até escreveu pra mim uma série muito interessante chamada “Presídio de Mulheres” que marcou época na Rádio Nacional. Jéfferson eu tive uma carreira muito bonita e não posso reclamar estou empregada desde os 6 anos onde já fiz: rádio, teatro, cinema e televisão. Já transitei nas mais variadas modalidades de arte... Graças a Deus!

Jéfferson Balbino: E como foi ser dirigida pela atriz Malu Mader na série “Essa História Dava um Filme”?

Daisy Lucidi: Ah foi maravilhoso! A Malu é ótima, é uma graça de pessoa, é uma diretora maravilhosa. Eu até então não a conhecia, nunca tinha sequer falado com ela, e quando ela me telefonou e quando ela me disse que era a Malu Mader eu pensei que fosse trote (risos). E quando ela me convidou eu aceitei fazer com o maior prazer, adorei a convivência com ela!

Jéfferson Balbino: Você que já foi vereadora e deputada como avalia o atual cenário político brasileiro?

Daisy Lucidi: Agora está muito triste e difícil. O político está muito desmoralizado no Brasil, naquele meu tempo quando eu ia ao teatro e via um humorista falar mau de político eu já ficava triste porque aquele foi um tempo muito bom da política brasileira. Agora hoje está muito difícil, pois você para se eleger além de gastar muito dinheiro tem que se unir a algum grupo até mesmo com traficantes e depois tem que ajudá-los. Eu fui vereadora e deputada e gostei muito gosto muito do trabalho político, eu gosto muito dos projetos que fiz, fiz ótimos projetos e gostava de ir ao plenário defender meus projetos. Mas hoje quando eu vou à Assembleia Legislativa e ao Plenário e vejo aquilo vazio eu fico triste, pois vejo as pessoas ganhando dinheiro ao invés de investir na causa pública.

Jéfferson Balbino: Esse ano de 2014 é um ano decisivo na história política do Brasil não apenas por sediar a Copa do Mundo, mas também pela Eleição para eleger o novo Presidente do país. O que você espera dessa Eleição? Já sabe em quem votará para Presidente do Brasil?

Daisy Lucidi: Ainda estou analisando, ainda não defini meu candidato, mas essa turma que está aí por certo não será. Por enquanto está surgindo, tem o Aécio Neves, aquele candidato lá de Pernambuco, o Eduardo Campos que eu não conheço nada dele, tem a Marina Silva que eu não acredito muito não...

 



Escrito por no mundo dos famosos às 22h28
[] [envie esta mensagem
] []





ENTREVISTA ESPECIAL com: DAISY LUCIDI

 

Jéfferson Balbino: Daisy, você foi casada por mais de 60 anos com o radialista esportivo Luís Mendes. Que importância ele teve tanto na sua vida pessoal quanto na profissional?

Daisy Lucidi: Ah Jéfferson... O Luís foi uma pessoa tão importante na minha vida, foi um grande companheiro que Deus mandou pra mime eu tenho muita saudade dele. Já faz pouco mais de dois anos que ele se foi e eu fico com muita pena porque era uma voz incrível, a mais bonita do rádio. Eu não conheço ninguém que tenha o conhecimento que ele tinha em futebol. E a memória que ele tinha né?! Porque ele sabia tudo sobre os jogos e não esquecia e nem via em computador porque ele tinha horror a computador. E ele era um companheiro que me incentivava e me ajudava muito na parte política e como bom gaúcho que era ele sabia tudo o que eu devia ou não fazer, ele me orientava no meu trabalho político. Eu tive minha vida política bem feita graças a ele. Eu sinto muita falta dele porque eu acho que ele ainda podia estar aqui comigo me ajudando e me motivando, mas ele me deu um filho espetacular e eu tenho três netos todos bem encaminhados e duas bisnetas lindas.

Jéfferson Balbino: No ano passado você fez uma participação na série “Tapas & Beijos” (TV Globo/2013). Como foi contracenar com a atriz Fernanda Torres?

Daisy Lucidi: Ah foi maravilhoso, a Fernandinha é ótima e Andrea Beltrão também. O Gilberto Braga que vive me dizendo que eu quando era mocinha era igual à Andrea Beltão (risos) eu até contei pra ela e ela riu muito. Mas as duas são ótimas né?! Me ajudaram muito a fazer aquela defunta porque pra subir no caixão foi muito complicado (risos).

Jéfferson Balbino: Por falar no nosso querido Gilberto Braga você estará na próxima novela que ele está escrevendo: “Babilônia” (TV Globo/2015). O que você pode nos adiantar sobre seu trabalho na novela?

Daisy Lucidi: Eu ainda não sei praticamente nada. Outro dia eu passei um email pra ele porque eu estava com saudade dele e perguntei como ele estava e ele respondeu dizendo: “Trabalhando na nossa novela.”... Eu estou ansiosa, louca pra voltar pra televisão, eu estou com muita saudade de atuar na televisão.

Jéfferson Balbino: E você é uma atriz que gosta de assistir novelas? Quais foram as melhores que você já assistiu?

Daisy Lucidi: Eu gosto, mas eu só assisto uma só novela. Primeiro porque não dá tempo de acompanhar todas as novelas, e segundo porque não quero me amarrar. Eu sempre assisti as novelas das nove. Teve muitas novelas boas né?! Cada uma há seu tempo... Cito: “Avenida Brasil” e “O Clone”!

Jéfferson Balbino: O que você acredita ter sido sua maior contribuição para a sociedade com o seu trabalho?

Daisy Lucidi: Eu acho que a minha contribuição foi dentro do programa “Alô Dayse” onde eu ajudei muita gente, pois por ser artista a gente consegue chegar mais rápido, arrumei muitas cadeiras de roda, água encanadas, creches, enfim fui à porta voz do povo. E continuo fazendo até hoje isso.

Jéfferson Balbino: Certa vez eu entrevistei a atriz Lolita Rodrigues que me disse achar “a velhice uma indignidade”. O que você pensa sobre a velhice?

Daisy Lucidi: Eu também... Acho uma maldade ser velho, o velho no Brasil é muito discriminado, é jogado fora... O INPS não paga ao velho no Brasil um salário condizente para ter uma velhice tranquila e viver bem. Há também muito preconceito com o velho no Brasil. Esse negócio de dizer que a velhice é a melhor idade é balela, não é mesmo!

Jéfferson Balbino: E o que você gosta de fazer nas horas vagas?

Daisy Lucidi: Eu gosto de me relacionar com os meus amigos, gosto de ficar no computador, gosto de ser dona de casa. Dizem que quem tem aptidão artística não gosta de ser boa de casa, eu gosto! Adoro arrumar minha casa embora não tenha muito tempo já que trabalho todo santo dia e quando eu faço televisão não tenho tempo pra nada porque eu saio pra trabalhar na rádio e de lá vou gravar na televisão e quando volto pra casa tenho que estudar e decorar texto... Gosto muito de viajar, encontrar com meus netos, minha família... Tenho um relacionamento maravilhoso com todos!

Jéfferson Balbino: Você também é uma senhora muito bonita que nem aparenta a idade que tem. Que cuidados você tem pra se manter bonita aos 80 anos?

Daisy Lucidi: Ah imagina Jéfferson (risos). Nunca fui bonita, era engraçadinha... Harmoniosa, eles dizem que sou bonita, mas eu não acho, mas é claro que estou bem para a minha idade de 80 anos. Eu não faço nada pra beleza, nem cremes uso, eu deixo a natureza livre pra fazer o que quiser. A única coisa que faço é o que toda mulher deve fazer a higiene do seu corpo, faço os cabelos toda semana tenho uma boa cabelereira que é a Isaurita lá do Catete e procuro me vestir de acordo com a minha idade, faço a unha toda semana, uso joias, graças a Deus eu tenho boas joias e, é isso!

Jéfferson Balbino: Querida, foi uma honra entrevistar você aqui “No Mundo dos Famosos”, parabéns pela belíssima trajetória profissional. E saiba que adorei muito conhecer você pessoalmente. Muito mais sucesso e um grande beijo!

Daisy Lucidi: Obrigada Jéfferson! E você querendo ir lá no meu programa vai lá que eu te entrevisto também! Vai lá que eu terei o maior prazer em entrevistar você também, você será recebido com todo amor e carinho... Um beijo e tudo de bom!

 



Escrito por no mundo dos famosos às 22h27
[] [envie esta mensagem
] []





Ainda Hoje: ENTREVISTA ESPECIAL com: DAISY LUCIDI



Escrito por no mundo dos famosos às 22h26
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]